terça-feira, 20 de abril de 2010

O BARCO E AS PALAVRAS

Agarrei numa folha branca
queria escrever um poema
mas as palavras engasgaram
na garganta
como um eco longínquo
como se estivesse num desfiladeiro
apertada entre duas montanhas
que me impediam de escrever,
era algo que eu não percebia,
com a ponta dos dedos
comecei a dobrar a folha branca
suavemente, em gestos compassados
quando dei conta tinha surgido
um barco de papel branco,
como as nuvens que pairavam
por cima da minha cabeça.

Com aguarelas pintei-o levemente,
e começou a viagem,
sem palavras
mas com uma grande vontade de fugir
daquele sítio, que me sufocava
as entranhas,
porque eu gosto de sonhar,
porque eu gosto de voar,
porque eu sou como a gaivota,
porque eu gosto de ser "livre".
E nas palavras me reencontro
em todas as horas.

Com elas viajo,
com elas fujo,
com elas me dispo de preconceitos,
com elas choro,
com elas rio,
com elas volto a ser criança.

Isabel Cabral

17 comentários:

ematejoca disse...

A ideia de fazer um barco de papel branco com a folha de papel, onde queria escrever um poema é mesmo muitíssimo original.
A pintura também me agrada muito, gostando de saber quem é o seu autor ou a sua autora.

Abraça-a a amiga de longe!

BC disse...

Obrigada pelo elogio, no que diz respeito ao poema.
Quanto à pintura ou desenho, não faço a mínima ideia, tirei da Internet.
Obrigada pelo abração do dia de anos o atraso não importa.
Quanto ao afastamento eu não me afastei por causa do Facebook, é certo que comecei a aparecer por uma razão concreta um dos meus filhos estar longe e ía enviando as fotos através do Face e eu e o António inscrevemo-nos para estarmos a par, depois foi um reencontrar de amigos....recentes...da blogosfera e muitos de há anos.
A família estava em grande parte, novos velhos (mais velhos)filhos, sobrinhos, primos, e por aí...!!!!
Mas sinto uma saudade imensa da blogosfera, mas ando mais afastada não pelo Facebook, acredite Teresa, apesar de ser mais directo e podermos falar logo com as pessoas
e ter um contacto mais, ou menos virtual, mas afastei-me por várias razões, pouca vontade de escrever, mais coisas a preocuparem-me, enfim um infinito de coisas mas eu apareço, hoje tive imensas saudades e não tinha nada escrito, quase fiz uma ginástica mental para escrever o barquinho de papel.
Estou presente mesmo que não apareça ACREDITE.
Beijinhos Teresa de Longe

Isabel Preto disse...

Adorei o poema e fiquei com vontade de o ler aos meus alunos, pois está fabuloso.
Parabéns e muitos beijinhos.

BC disse...

Obrigada Isabel, sempre presente minha amiga, eu é que tenho faltado com as palavras, pouca inspiração mas o meu barquito lá navegou e encheu-se de palavras...!!!
Beijinhos

Conceição disse...

Olá amiga!
Lindo o teu poema, aliás como todos os que escreves. Gostei muito de o ler. O David fez anos, se quiseres passa pelo blog. Beijoca.

tossan disse...

Me lembra a letra da música do Papel marche de João Bosco. Muito lindo! Beijo

BC disse...

Obrigada pela informação, não conhecia, nunca tinha ouvido falar nem no cantor muito menos na canção, mas é muito interessante, fui indagar e já ouvi.
Divididos por continentes e por vezes as pessoas pensam nas mesmas coisas, é o colorido da nossa imaginação de menino (a)a funcionar sempre.
Beijo

Viviana disse...

Querida Isabel

Olá, boa amiga!

Gostei tanto do "barquinho de papel"!

Sempre palavras tão lindas...

Sempre a expressar sentimentos belos e nobres.
Sempre a mesma e linda Isabel.

Que tudo esteja bem.

Um grande e afectuoso abraço

viviana

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Isabel,

Quando despimos palavras de preconceitos, o corpo junta todas as emoções num carinhoso afeto.

E essa música do seu blog é LINDA!

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

Moonlight disse...

Linda amiga Isabel

Das mãos de uma pessoa especial sempre sairam coisas magicas sejam elas palavras,barquinhos de papel ou lindas pinturas.
Sempre sirá de si algo maravilhoso como o seu poder de ser sempre uma criança.
Lindo!
Querida Isabel têm um mimo meu para si em meu cantinho,espero que goste,é oferecido com muito carinho.

Bjinho cheio de luar

Lilazdavioleta disse...

Isabel ,

este poema na sua forma e conteudo remete - me para um mundo de " era uma vez ".
Lindo !
E a respectiva imagem tem magia , também .

Um beijo e bfs,
Maria

Margarida Fernandes disse...

Bonito poema, Isabel.

Acredite que, ao contrário do que me escreveu num comentário, não temos tirado muitas fotografias. Nem eu nem o Paulo.

Beijinhos

gaivota disse...

um poema de palavras de liberdade...
bem bonito, isabel!
um barco navegando palavras...
beijinhos

Viviana disse...

Querida Isabel

Passo para matar saudades...

E,

Para deixar-lhe um grande e carinhoso abraço

Viviana

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Recebemos uma brincadeira, de uma amiga super querida, e queremos repassar para quem gostamos. É muito bacana, diferente e estimulante. Jota Cê e eu entramos na onda de "listar" quem somos e adoramos.

Espero que goste, viu?

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Isabel,

Pode ser no seu blog, mas fique à vontade pra postar onde quiser.

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

Conceição disse...

Olá!E porque o teu blog é feito de amor e afectos tem um miminho lá no blog do david para ti. Beijinhos