terça-feira, 22 de março de 2011

AS CORES DA VIDA

AS CORES DA VIDA
Olha para mim
eu não quero
que seja assim
não quero viver assim
lá fora o mundo gira
o sol brilha pra mim
a lua também sorri

Há gente a cair
o mar já não é tão azul
a terra treme de dor
há bombas a cair

olha para mim
eu não quero
que seja assim
não quero viver assim
lá fora o mundo gira
o sol brilha pra mim
a lua também sorri

os dias a fugir
as crianças
já não podem brincar
num jardim a florir

a Primavera
já não tem papoilas vermelhas
como dantes
nos campos a florir
tem fumos no ar
constantemente a poluir

olha para mim
eu não quero
que seja assim
não quero viver assim
lá fora o mundo gira
o sol brilha para mim
a lua também sorri

há quem desista da vida
desista de lutar
deixar de sorrir
cerrar os olhos e fugir

eu não quero morrer assim

olha para mim
eu não quero que seja assim
não quero viver assim
lá fora o mundo gira
o sol brilha pra mim
a lua também sorri

eu quero ver uma criança
a correr, a sorrir
um jovem a viver
a força a brutar
em cada dia
todos os dias lutar
não quero ver
um velho num sofá
à espera, NÃO
mas sim continuar
a viver até à hora de partir

olha para mim
eu não quero
que seja assim
não quero viver assim
lá fora o mundo gira
o sol brilha para mim
a lua também sorri

mas nós queremos
continuar a lutar
a alcançar a palavra
ver gente a sorrir
e para a frente olhar
e continuar

olha para mim
eu não quero
que seja assim
não quero viver assim
lá fora o mundo gira
o sol brilha para mim
a lua também sorri!!!

Este poema foi feito e dedicado ao Patrick quando partiu, embora eu não o conhecesse pessoalmente, mas emocionei-me como mulher e especialmente como mãe, e as palavras foram surgindo.
PARA TI PATRICK, e para todos os Patricks deste Mundo1!!!!


Isabel Cabral

4 comentários:

Luís Coelho disse...

Poema canção de olhares para o mundo e as crianças.
É preciso sorrir e acreditar
É preciso ter esperança e trabalhar. Que ninguém perca a esperança em dias melhores e que trabalhe no sentido de melhorar a sua maneira de viver.

Multiolhares disse...

a vida está tão pesada as pessoas os elementos da natureza o sol ainda brilha a lua também mas e os seres como estão... tristes pardacentos, que isto possa mudar
bjs

Tentativas Poemáticas disse...

Então, Isabelita, este blogue está em "banho Maria"?
Beijinhos de PARABÉNS.
António

Conceição disse...

Olá amiga!
Há tanto tempo que não passava por aqui, já tinha saudades de ler os teus poemas. Os dias passam a correr e nem sempre temos tempo para o que queremos fazer, mas de vez em quando também sabe bem parar um bocadinho e ir em busca dos amigos...Beijinhos