segunda-feira, 8 de agosto de 2011

PALAVRAS NO SILÊNCIO

Enquanto o som
das minhas palavras
ferirem ouvidos
enquanto as minhas palavras
incomodarem alguém
enquanto as minhas palavras
voarem ao vento
enquanto tiver que me calar
porque ninguém me quer ouvir
enquanto me sentir viva
parecendo morta
enquanto tiver energia
parecendo fraca
enquanto as minhas palavras
continuarem surdas
enquanto tiver que gritar
para ser ouvida
terei que calar
mas não me impedirão
de pensar, de escrever.


Isabel Cabral



7 comentários:

Marta disse...

Querida Isabeita, que saudades!
Calar o pensamento, nunca! Mesmo que mais ninguém o oiça, ouvimo-lo nós próprios. E escrevê-lo, tanto melhor!

Beijinho muito grande

BC disse...

De quando em vez vou aparecendo, escrevendo já muito pouco.São repentes, passou a febre de um poema por dia, também não sei como o conseguia, nem eu sei explicar.
Beijinhos

Fátima André disse...

Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.

Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou;

Tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derrubar, e tempo de edificar;

Tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar;

Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar;

Tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de lançar fora;

Tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar;
...
(Eclesiates 3)

Beijinhos =)

BC disse...

Como disse já cá está o comentário, não tenho ido aos mails, por isso não tinha moderado o teu comentário.
Beijos Fátima e vai aparecendo, saudades desta blogosfera e destas palavras que tantas alegrias nos deram há já algum tempo.O FB,pode ser bom para algumas coisas mas não é isto, não gera as cumplicidades que geraram os blogues pelo menos no nosso grupo tão forte que foi.....!!!!
Tantas palavras ditas tantas que ficaram por dizer :)

Sônia Brandão disse...

E todos ouvirão o seu silêncio, que pode dizer mais do que as palavras.

bj

Viviana disse...

Querida Isabel

Saudades, amiga!

Lembro-me muito de si...e gosto que assim seja.

Do coração

Um abraço muito apertado

viviana

Luís Coelho disse...

Começo pelo fim
- Ninguém será capaz de nos fazer deixar de pensar.
Poderemos mesmo fingir que sorrimos aqueles que nos ferem mas eles nunca verão aquilo que guardamos na alma - desprezo e repugnância pelo que nos impõem............
O meu silêncio entre-cortado de palavras soltas haverão de fazer ouvir a minha indignação......