segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Perfume de mulher

Numa terna suavidade
de bailarina,
em que a música ecoava,
numa sonoridade divina
e entrava pelos ouvidos dentro,
vibrou seu peito.

Seus pés desnudados,
pisaram a terra vida,
num perfume que enfeitiçava
e a natureza perfumava,
em seus pés percorria,

todo o corpo de mulher,
e as veias de sangue enchia
esse corpo de mulher
traçado pelas mãos de Deus
que perfeito o fez.
E o perpetuou,
para todo o sempre,
e de outra mulher feito ventre,
entre gritos e gemidos,
Na perfeição de o"SER"
Isabel Cabral

30 comentários:

Artista Maldito disse...

Olá Isabelita

Um poema de sentidos/sentires, e dos mais complexos que a Isabel já escreveu. A perfeição aliada à dor, numa boa tradição feminina e cheia de sensibilidade.

Esperemos que da próxima vinda ao Porto esteja bom tempo e haja muito sol. Haverá decerto mais oportunidades para nos voltarmos a encontrar.

Beijinhos
Isabel

Marta disse...

Que poema sentido, cheio de ternura e leveza...
Uma brisa bailarina que encanta e enche a alma de sonhos..
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Licas disse...

Olá Isabelinha

Que pena não poder dizer-lhe já que tive muito prazer em conhecê-la pessoalmente, mas creio, tal como diz a Isabel, vamos de certeza ter mais oportunidades.
Aproveito para lhe agradecer as felicitações pelo dia de hoje e desejar a continuação de uma boa semana.
Amanhã regressarei com mais calma.
Beijinhos
Licas

mundo azul disse...

Um perfume realmente adorável nesses versos!

É lindo o seu poema, Isabel...


Beijos de luz e o meu carinho, especial!!!

___________________________________

amor y libertad disse...

el poema está lleno de sensualidad, siento por ello mucha ganas de conocer a esa mujer

un beso

Viviana disse...

Olá Isabel,

È muito belo o seu poema.

Diz tanto!

Um abraço
viviana

Vieira Calado disse...

A mulher e o seu destino quase cósmico:

perpetuar o Homem.


Bjs

ematejoca disse...

Bom dia, Isabel!
Eu também digo como o Artista Maldito, que é um dos poemas mais complexos, que a Isabel já escreveu. "A perfeição aliada à dor" está, na verdade, numa tradição muito feminina...

Quanto: "A mulher e o seu destino quase cósmico: perpetuar o Homem."... é que não vou nessa!!!

Até logo!

Carla disse...

cheio de intensidade o corpo de mulher...perfumado
beijos

gaivota disse...

mais um dos teus lindos poemas, isabel, este mais perfumado, o valor na intensidade de ser mulher!
beijinhossssssssss

Marta Vasil disse...

Isabel

Que perfume exala este doce poema!

Destaco, pela beleza, pela intensidade e porque sou mulher:
"E o perpetuou,
para todo o sempre,
e de outra mulher feito ventre,
entre gritos e gemidos,
Na perfeição de o"SER""

beijnho

MV

Artista Maldito disse...

Boa Noite Isabelita

E é com leveza que venho na minha ronda dar-lhe as boas noites. Até que enfim, parece que uns dias de sol nos vão presentear nestes próximos dias.

Beijinhos e até amanhã
Isabel

BC disse...

Muito obrigada Isabel, e retribuo, para mim a noite ainda é uma criança.
Com as horas de jantar cá em casa, é raro juntarmo-nos todos ao mesmo tempo, coisa que eu detesto, mas os trabalhos a isso obrigam.

Esperemos realmente que os dias de sol cheguem rapidamente, mas ainda agora estava a olhar para o computador para o tempo que vai fazer amanhã, e vejo tudo cinzento.
Não acredito.
Beijinhos
See you tomorrow
Isabel

Multiolhares disse...

mulher vida der de vida, que vida trás
beijinhos

Sônia Brandão disse...

No seu poema, toda a leveza de uma bailarina.
beijos

ematejoca disse...

Isabel, venho por este meio dizer-lhe, que mais uma vez perdi o meu @-mail, segundo dizem, dei a palavra passe cinco vezes errada. Claro que perdi também o seu @-mail e a partir de agora nao entro na minha caixa de @-mails.
Como estou chatiada, vou ficar um tempo sem querer um endereco de @-mail. Estou farta da arcor!

Tentativas Poemáticas disse...

Olá querida amiga Isabel
Ainda não tive o privilégio de a conhecer pessoalmente mas, por aquilo que alguém já me cuscou, vale realmente a pena conhecê-la.
A alma da Isabel espelhada neste magnífico poema de mulher...
Parabéns
Beijinho
António

BC disse...

Olá Teresa!

Há qualquer coisa que eu não estou a entender, ou então sou muito burra, como é que perdeu o @mail se ele está aqui.

Se eu recebi é porque não está perdido (ou esqueceu-se eu tenho comentários moderados)vão directamente para o mail e depois é que passam para o blogue há aí qualquer outro problema, não recebe???
mas quando eu envio um mail e não vem para trás é porque chegaram ao destino.
Tente perceber o que se passa porque eu não entendo nada, mas acho que o que expliquei é lógico.
Mesmo sendo arcor e não hotmail ou outro qualquer o sistema será todo igual.
Abraço
Isabel

BC disse...

Ah! Teresa esqueci-me, pode criar um mail na altura, é automático, só se não quer, isso já é outro problema....

ematejoca disse...

Eu continuo a ter os dois @-mails. O problema é que nao tenho acesso a eles. Nao os posso ler, mandar @-mails ou apagá-los. O problema está em nao poder apagá-los e o computador estar sobrecarregado. Claro, que nao perdi nada, mas se nao posso entrar, que me importa ter os @mails. Podem-me mandar @-mails, mas eu nao os posso ler e também nao os posso mandar. Posso ter um @-mail novo imediatamente, mas nao quero. Eu queria ler os @-mails, pois há muito tempo, que nao os li-a. Dei a palavra-chave mal, segundo dizem 5 vezes e agora nao tenho acesso. Estou furiosa, pois já me acontece isto pela segunda vez, e digo que perco tudo, pois se lhe quiser mandar um @-mail, nao posso e também nao sei os @-mails das pesssoas, porque estava lá tudo arquivado.
Esta noite tinha dois convites... e fiquei em casa com um ataque de nervos. O Paulo tinha-me mandado o último trabalho fotográfico dele, que nem tive tempo de o ver... e lá ficou. Nem é por perder tudo, é por me ter acontecido isto já duas vezes.
Desculpe este desabafo, Isabel!

Estou a ter problemas em mandar este comentário. Já tentei várias vezes e ele continua aqui. Vou tentar outra vez! Continua a nao vir o sinal de guardado!

Betty Branco Martins disse...

._______querida Isabel




assi.




.se ______"desliza"




tão poéticamente



na perfeição




.das________palavras___...



____________///







beijO______ternO

Licas disse...

Olá Isabelita!
Terminei o dia de trabalho, encontrei a Isabel (Artista Maldito), marquei encontro com a Joana e delicio-me agora com este poema de Mãe/Mulher.
Avalio-o como muito positivo e refrescante, caminho aberto para uma Primavera sem fronteiras.
Beijinhos e Coração ao alto.
Licas

Nuno de Sousa disse...

Isabel esse perfume que vem deste teu blog hummmmmmmmmmm, sabe bem aqui estar e por aqui passar e ler o que aqui deixas...
Gosto do que fazes.
Bjs grandes na minha boa amiga, e perfumadinha q está :-)
Bjs e uma boa noite,
Nuno

Artista Maldito disse...

Olá Isabelita

Venho desejar-lhe uma boa noite, parece que os dias de sol ainda se vão aguentar. Vamos a ver, estamos com este inverno às costas. Foi muito prolongado e duro. E que venha a Primavera.

Beijinhos
Isabel

poematar disse...

Bem suave, rpovocando o deleite. Já editei. Gostaria viesses dizer algo e ouvir, claro. Beijo.

Tentativas Poemáticas disse...

Para mim perfume de mulher, desde que não seja o da Agatha, é sempre excitante, mesmo que ela só use sabão azul e branco.
Tenho no cabeçalho do meu blogue um Prémio confeccionado por mim (com o cunho duma Artista e Maldita) que também é para si.
Beijinho com ternura.
António

Tentativas Poemáticas disse...

Amiguinha
Não creia estar isolada nesse seu sofrimento, nessas suas dúvidas em relação aos outros. Afinal, somos humanos - carregados de imperfeições - e normalmente, quando passamos por mudanças bruscas de humor, são sempre as pessoas que mais amamos as primeiras a suportarem as nossas indisposições. Julgo saber ao que se refere. Quem sou eu para lhe dar conselhos? Mas, por favor, deixe o pó assentar. Depois, com mais clarividência, vai compreender e perdoar.
Beijinho muito grande.
António

BC disse...

António obrigada pelas suas palavras,provavelmente acertou em parte, penso que sei ao que se está a referir, não é exactamente isso que me está a preocupar neste momento e a deixar-me triste, é outra coisa embora isso a que se refere também me incomode, mas com birras posso eu bem.
São os cordões umbilicais ainda muito presos,e quando os nossos cordõezinhos sofrem, nós também sofremos, e dói, dói, como dói.
Espero como sempre ter serenidade para ser a árvore, o mastro do barco.....TUDO
Beijinhos
Isabel

Mas não se preocupe a gravidade é relativa, sabe as pessoas hoje em dia, têem medo de assumir-se, e magoam os outros que fazem tudo por elas, talvez me faça entender.

O Profeta disse...

Poesia perfeita no rumo de passos de pés nús...


Doce beijo

BlueVelvet disse...

Querida Isabel,
das coisas mais bonitas que já escreveste.
Para quando pores tudo em livro?
Já tens material que chegue:)
Beijinhos