segunda-feira, 28 de abril de 2008

Por sítios nunca navegados

Calado Mateus

Para todos os meninos, e também para os meus filhos que nunca construíram "um barco de cortiça", mas, seria bom!

Nele iriam navegando até onde a imaginação os levasse, porque só num barco de cortiça, poderiam ir a sítios que só "um barco de cortiça"os poderia levar!!!
Sempre a fantasia e o sonho.....




.....Apanhava conchinhas, búzios, às vezes daquelas Saldanhas miúdas que ali passavam em cardume... _ E, depois: _ Sabes, gosto muito do teu barco!
Aconteceu que, naquele momento, uma gaivota, muito branca, desconhecida do menino, resolveu pousar ali, bem perto dos dois. O pescador apontou para ela e disse:
_ Zèzito, esta é a Altair.
_ Altair?
_ Sim, fui eu que a baptizei. É o nome de uma estrela, sabes ? É que a Altair voa muito alto, por vezes tão alto, tão junto às estrelas, que parece, ela própria, uma estrela também...
_Que lindo, Ti João!
_ Pois a Altair é muito minha amiga. Dorme na janela da minha casa e vem comer à minha mão...
_ E onde é a sua casa? _ interrompeu Zèzito, curioso.
Ti João do Mosteiro apontou para cima e disse:
_É ali, em riba da praia. Hás-de visitá-la e ver muitas coisas bonitas que lá tenho.
_ Coisas bonitas, Ti João? _ perguntou o menino, cujos olhos castanhos de algas rebolaram de curiosidade.
_ Certamente que vou gostar! _ E, em seguida, voltando-se para a gaivota, ensaiou perguntar-lhe: _ E tu, Altar, gostas da ilha?
_Se gosto! _ respondeu a gaivota. E, sabiamente, acrescentou: _ E tu também hás-de gostar, quando a conheceres melhor.
_ E se eu a pudesse ver toda!
_ e porque não Zèzito?
_ Ainda se o meu barco fosse grande e eu pudesse ir dentro dele!...
_ Mas é que podes, se quiseres!
_ Como?! _ perguntou Zèzito, intrigado.
_ É que os meninos têm um condão maravilhoso...
_ Um condão maravilhoso, Altair? Qual?
E a gaivota respondeu simplesmente:
_ Sonhar...
_ Sonhar?! Mas... sonhar não é aquilo muito bonito que a gente vê quando está a dormir?
_ Não só Zèzito. É também aquilo que a gente imagina quando está acordada, imagina que está a viver...
_ Então... será assim como quando eu pensava que vivia nesta ilha há muito tempo e que brincava aqui com os meus amigos, embora só agora a tivesse conhecido?
_ Isso mesmo! _ E, depois de uma pausa: _ E tu não gostarias de ter um barco igualzinho ao teu, mas em grande, de modo a que pudesses caber dentro dele?... Tu, há bocadinho, disseste isso...
O menino olhou para o pescador que assistia, enternecido, a toda esta conversa. Viu-o levantar as sobrancelhas, como que esperando a resposta à pergunta da gaivota. E, vai daí acrescentou, olhando de soslaio, gaiato, para o pescador: _ Mas só se nele coubesse, também, o Ti João...
_ Pois pousa o teu barquito à beira da água, que foi para navegar que tu o fizeste...
_ Aonde?
_ Ali... _ insistiu a gaivota, apontando a margem onde as ondas se espreguiçavam muito devagarinho.
O menino obedeceu, correndo, descalço, na direcção do mar e pousou o barquito à borda da água, olhando-o,
demoradamente, até ficar com a certeza de que as ondas o não levavam...
In "barco de cortiça " - MARIANO CALADO

Obrigada pai por continuar a fazer-me sonhar!!!











8 comentários:

Viviana disse...

Boa noite, Isabel!

Sabe que tenho vindo aqui todos os dias!?

Claro, na esperança de a encontrar...

Que bom que voltou!
Fico muito contente.

Quanto ao céu alentejano...eu posso imaginar como será belo!

Achei lindo, muito lindo, o texto do seu pai. Gostei muito.

Fique bem, fique com Deus
viviana

Raul Martins disse...

- Sonhar?! Mas... sonhar não é aquilo muito bonito que a gente vê quando está a dormir?
- Não só Zézito. É também aquilo que a gente imagina quando está acordada, imagina que está a viver...

E que os sonhos continuem a comandar a nossa vida!

BC disse...

Obrigada Raul, pela sua presença
também sempre assídua, mas o mérito não é meu.
As palmas vão para o meu pai.
Eu nunca chegarei lá, resolvi brincar com as palavras durante algum tempo.
Eu só me limito a sonhar!!!

BC disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
BC disse...

Olá amiga Viviana, é tão bom saber que alguém está à nossa espera quando nos ausentamos.
A minha casa de madeira fica bem no meio do pinhal com o mar como pano de fundo.
De facto, e como sempre as estrelas estavam lá aos milhares, e quando à noite vou até à falésia para ver o mar que de noite fica ainda mais bonito, com a lua a bater nas águas, parece um quadro,
pensei nas pessoas de quem gosto, e pensei em si,quando olhei para cima, (sabia que estaria lá)
Aquele lugar é mágico, ali não é sonho, é mesmo realidade!!!

RENARD disse...

Olá BC:

Folgo em vê-la de volta e sempre inspirada. Seja com textos do seu pai ou seus, o bom gosto impera sempre.
Devo dizer-lhe que ando mais bem disposta. Pode ficar mais descansada... Obrigada pelos afectos.

Beijinhos e chocolates

BC disse...

Que bom minha amiga, se eu puder
contribuir com as minhas palavras para essa boa disposição, como é bom puder ajudar e ter o retorno em sorrisos e até em chocolates
A MINHA DOÇURA TAMBÉM PARA TI
BEIJOCAS
Fico muito, muito contente por ti,
acredita.

gaivota disse...

amiga, agora consegui!
só acrescento que a Altair é muito linda..., conseguiu o que muita gente não consegue e pôs o Zézito a sonhar elvando o Ti João com ele
mais um beijo de parabéns ao pai pela linda escrita
e para ti, beijinhos