quinta-feira, 27 de março de 2008

Cidade dos Afectos



Na cidade dos Afectos encontrei o Sorriso, estava sentado num banco de jardim, olhava em redor, tudo à sua volta era verde e belo, as árvores, as flores, a relva. Sorriso inibriava-se com o cheiro que imanava de tantas flores à sua volta, era proibido tocar e maltratar porque o Sorriso


sabia que ali estava plantado o seu futuro e das outras crianças que viviam no planeta.


"O verde faz falta" - dizia ele - precisamos de oxigénio para respirar.


Estas árvores precisam ser preservadas e temos que cuidar delas com muito carinho e não lhes fazer mal.


- E, eu todos os dias (dizia ele), venho para aqui admirar a beleza do nosso mundo e ao mesmo tempo sou uma espécie de guardião do verde do meu planeta.





Mas a hora de ir para a escola aproximava-se e lá foi o Sorriso.


Pedi se o podia acompanhar, gostava de conhecer a sua escola, ao que me respondeu afirmativamente, acompanhei-o. Na escola não existiam grades, todos os meninos se chamavam Sorrisos e frequentavam a escola expontaneamente. Os professores chamavam-se Mãos Amigas.


Todos eles trabalhavam em conjunto, com respeito uns pelos outros.


Naquela escola havia tudo, livros, muitos livros, lápis, canetas borrachas, papel para escrever e para desenhar, não precisavam de coisas muito sofisticadas para perceberem o quanto era importante o Saber, e as coisas boas que o Saber proporcionava a todos os Sorrisos que por ali passavam, e as Mãos Amigas eram as pessoas que lhes passavam o tal Saber, com a sua experiência.


Tudo funcionava bem, porque todos perceberam que na "Cidade dos Afectos" ninguém vivia só,


as pessoas partilhavam tudo e respeitavam-se mutuamente.
Acima de tudo davam as mãos e sorriam...

6 comentários:

Raul Martins disse...

Este seu texto fez-me lembrar uma canção que já fiz há um bom par de anos. Já nem me lembrava dela e que canto, ainda que não me ouça, baixinho para si:

Quem planta afectos e sorrisos é meu irmão
E vai comigo pela vida sempre a cantar
Levando esperança e alegria no coração
Para distribuir por ai, por quem precisar.

Raul Martins disse...

Viva B.C.

Acabei de ver o comentário que me deixou no blog.
A vida tem destas coisas... vão entrelaçando visitas e as coincidências acontecem. Ainda bem. Fico feliz. São estas coisas que nos vão fazendo acreditar que há sempre um amanhã que vai surgir mais bonito!Temos que acreditar que a "Cidade dos afectos" existe.

Anónimo disse...

Sorrisos existem em cada um de nós!
O saber cultiva-se...
Os sorrisos dão-se...
Beijocas
Mia

Mariana disse...

Sorrisos existem em cada um de nós!
o saber cultiva-se...
Os sorrisos dão-se...
Beijocas
Mia

Anónimo disse...

Sorrisos existem em cada um e nós!
O saber cultiva-se...
Os sorrisos dão-se...
Beijocas
Mia

BC disse...

Estes comentários ficaram triplicados, não sei o que se passou quando eu os aceitei,não estavam a passar, houve algum problema a nível da Internet,já não é a primeira vez, paciência,
Beijinhos Mia.
Talvez tenhas posto como anónimo sem querer e depois MARIANA, DAÍ O ERRO E DEPOIS APARECERAM TODOS