domingo, 16 de março de 2008

O mundo é pequeno

Ontem, saí de casa para dar um daqueles passeios de domingo,por vezes um bocado enfadonhos, não fosse a particularidade de poder estar com a família o que ontem aconteceu.
Os meus filhos sairam para surfar, o que poderia ser desde carcavelos a Peniche passando pela Ericeira.
O facto é que diambolando pela linha de Cascais, fomos desaguar algures numa praia das muitas da linha(S. Pedro do Estoril), no meio de centenas de pessoas que passeavam a apanhar umas résteas de sol com um bom bocado de vento, ainda o carro rolava á procura de estacionamento para ir tomar um cafézito, vejo ao longe o meu filho Gonçalo, já sem o equipamento e, vai então que resolvemos segui-lo coisa que não costumo fazer (é chato, não sei se estaria com alguma companhia feminina...),percorremos a muralha e lá estavam eles num grupo de amigos, sentados numa mesa e rodeados de dezenas de pessoas, lá foram buscar umas cadeiritas e ali ficamos com
os filhotes e seus amigos, o que até soube muito bem são lufadas de juventude que nós apanhamos. O tempo foi passando e no meio de algumas conversas ouvi falar de Torres Vedras(minha terra natal), e do Carnaval, intrometi-me, pois estava noutra onda e uma das amigas, por sinal era de Torres
(a família), com toda a delicadeza perguntei a que família pertencia, e qual não foi o meu espanto
pois a Marta era filha de uma menina da minha geração que tinha uma irmã gémea que de gémeas não tinham nada, era impressionante nunca vi gémeas, tão diferentes, (uma loira, outra morena, uma alta outra baixa),por sua vez netas de uma senhora muito conhecida que frequentava a casa da minha avó Isabel, é obvio que não vou falar do nome, não seria delicado
da minha parte, mas quis deixar este apontamento.
Foi uma tarde bem passada, com os meus três filhos e o meu marido, com os amigos deles que tenho sempre muito prazer em conhecer.
E aqui fica est post, de pequenas concidências, e como as gerações se podem encontrar ao fim
de tantos anos...
O mundo de facto é muito pequeno.....

6 comentários:

RENARD disse...

BC:

Julgo que as pessoas tendem a não entender a força das palavras por pensarem que a memória se encarregará das apagar...
Quando escrevi aquele texto tinha em mente o homem que mais amo na vida: O meu pai. Temos uma relação conflituosa porque somos parecidos. Magoa-me muito devido ao facto de não pesar o impacto que as suas palavras terão em mim.
Com a ajuda dum amigo consegui ultrapassar muitos dos rancores que lhe guardei desde a minha pré-adolescência e adolescência. Agora limito as conversas ao mínimo para não dar "faísca". Live and learn, não é?
Assim que começamos a falar deviam nos ensinar que, a partir daquele momento, temos uma das armas mais mortíferas do mundo e, simultaneamente, uma herança cultural a preservar e respeitar.
Mas essa é só a minha opinião...

Beijinho

L.S. Alves disse...

Agora já não sei se o mundo é que é pequeno ou nós que vamos mais longe e mais rápido. Mesmo assim são muito gostosas essas coincidências.
Um abraço.

Mariana disse...

A vida é cheia de coincidências.

Raul Martins disse...

E a vida é cheia de coincidências... vim visitar o seu blog, e não é que uns andares mais acima vejo um comentário da Joana... ela foi minha aluna e esteve connosco antes da Páscoa e não sabia que ela tinha um blog... a marota não me disse nada!Coincidências... descubro aqui um caminho que me levou até à "cidade" dela... o mundo é cada vez mais pequeno. Pode ver a visita que ela nos fez aqui:
http://rucamartins-porummundomelhor.blogspot.com/search/label/Joana%20Lopes.

Aproveito para agradecer a sua visita.

BC disse...

Eu é que agradeço,existem coincidências que talvez não sejam assim tanto,por alguma razão ao longo da vida as pessoas vão-se encontrando e desencontrando, é qualquer coisa que não sabemos explicar.
Mas todas as pessoas que querem tornar o mundo melhor é bom realmente que se encontrem.
Fique bem
BC

BC disse...

Eu é que agradeço,existem coincidências que talvez não sejam assim tanto,por alguma razão ao longo da vida as pessoas vão-se encontrando e desencontrando, é qualquer coisa que não sabemos explicar.
Mas todas as pessoas que querem tornar o mundo melhor é bom realmente que se encontrem.
Fique bem
BC