quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Tempo de criança

Do complicado científico
ao real imaginário,
da nossa infância
onde cabiam coisas simples.

Um carrinho de linhas
donde saíam grandes bolas de sabão
que nos rebentavam na mão.

E nos alimentava a imaginação,
ao bonito carrossel,
num sobe e desce de ilusão,
dum livro de papel.


Um circo onde palhaços,
a sua cara escondiam
e lhes adivinhava os traços,
numa doce alegria,
de rostos abertos que nos sorriam.

Das bolas de sabão,
ao rodopiar do pião
do carrossel
de papel
ao circo com palhaços
sempre connosco envolvidos
numa terna gargalhada.

Brincadeiras alucinantes,
que nos deixavam contentes.
E no meio de devaneios, inconstantes.
Sentiamo-nos felizes,
simplesmente por
sermos apenas crianças!!!!!

Isabel Cabral

17 comentários:

Artista Maldito disse...

Isabel olá

Crianças sempre seremos, dentro de nós conserva-se sempre esse desejo que nos contagiou em tempos, a alegria dos jogos simples e a inocência dos devaneios.

Beijinho grande amiga,
Isabel

BC disse...

Sempre crianças, isso é que faz as pessoas diferentes.
Mantermos o nosso lado de criança inocente e sabê-lo transmitir em gestos, em palavras....
E CONSEGUIRMOS AINDA BRINCAR!!!
Beijo amiga
Isabel

Hoje vou até Lisboa com o meu marido, tenho uns exames rotineiros para fazer.
Logo falamos.
Só vou dar a volta aos blogues logo.

Viviana disse...

Olá querida Isabel,

Conforme ia lendo as suas magníficas descrições de todas essas coisas lindas que admirávamos tanto, e que tão felizes nos faziam quando crianças... á minha memória iam chegando uma a uma todas essas recordações e imagens!

Por momentos, voltei aos lugares e ás situações então vividas.

Obrigada por me proporcionar isso.
foi muito bom.

Desejo que tudo corra bem com seus exames e os do marido.

Um abraço
Viviana

Nuno de Sousa disse...

Bem amiga, adorei este teu belo momento, como gostei afinal se calhar por ser também uma criança ainda... com 42 anitos eheh, mas sabe bem nos mantermos jovens sabermos brincar... e acho q nos tornamos pessoas mais felizes... acho q sim amiga.
Bjs grandes Isabel e boas brincadeiras,
Nuno

P.S. - Bom fds e até dia 16 q agora vou ter uns dias de descanso por terras Algarvias

1/4 de Fada disse...

E que saudades que eu tenho desses tempos despreocupados... Isabel, está lindo, este teu poema, descreve maravilhosamente a infância.

BC disse...

E como é bom recordar Viviana, a nossa imaginação pode voar para sítios tão maravilhosos, como os momentos da nossa infância e deliciarmo-nos com ela, recordando,
recordando, e sonhando sonhando...
Beijos
Isabel

BC disse...

Nuno ainda bem que gostaste e que aos 42 anos também te sentes criança, que bom essa sensação.
Agora voa até terras ALGARVIAS e diverte-te.
Boas férias para ti,(ou será trabalho??')
Beijo e até....
Isabel

BC disse...

Todos nós temos saudades desses tempos fada, mas deixemos a imaginação fluir e chegaremos lá sempre que quisermos.
Como eu costumo dizer, é só acreditar.
Fica bem
Isabel

amor disse...

pues que esa felicidad llegue tambien al presente

bs

s

BC disse...

Claro vai tambien llegar.
Un beso
Isabel

Vieira Calado disse...

Tempos que já não voltam!

Sejamos agora crianças, nos nossos netos!

Bjs

Multiolhares disse...

Sinto que cada vez se esta a perder a criança que há em nós bem mais cedo.
beijinhos

Tentativas Poemáticas disse...

"E conseguirmos ainda brincar!!!" Se não fosse assim, amiga Isabel!...
Bom fim-de-semana junto dos familiares.
Beijinho
António

Mello disse...

Olá Isabel!

É tão bom ser criança!

Gostei muito do poema e do novo visual do teu blogue.

Beijinhos,

fica bem,

Graça Mello

BC disse...

Amiga estou neste momento no Alentejo com o marido, a gozar de um sol maravilhoso,na minha casinha de madeira.
O silêncio é não assustador mas do fim do mundo, o cheiro das flores , dos pinheiros.

A HARMONIA E A PAZ QUE ME FAZ BEM E ME LEVA ATÉ AO CÉU.
Beijinhos uma flor daqui

Gostava de vos mostrar as minhas flores num solo como o Alentejano, partece de outro mundo
Isabel

Teresa disse...

Lindo poema sobre a infancia, Isabel! A imagem dá muito bem com o poema.
Antes que a net vá embora, abraco!

gaivota disse...

é tão bom, tão lindo ser criança...
que pena termos que crescer, não é??? mas brincar, brincamos sempre, isabel, agora, eu, com os netos, reviver e ensinar-lhes brincadeiras do meu tempo...
beijinhos