domingo, 30 de novembro de 2008

Um conto



A menina ficou sentada
nas mãos um livro de histórias,
que a encantava, e a levava,
pra terra das aventuras.

Com elas viajava,
e conhecia outros mundos,
os mundos da fantasia,
sabia bem descobri-los.

Poder viver outras vidas,
por ela já sonhadas
muitas vezes acordada,
e quantas vezes pensadas.

Era tão bom conhecer,
outras gentes,
e a mente desenvolver,
brincar, mesmo em pensamento,
no mundo de outro ser,
com o mesmo sentimento.

Dar as mãos
e através de um livro,
tocar em alguém,
e viver com ele outra vida,
outra vida, que não era a sua
mas que no mundo da fantasia
tudo podia acontecer.

Enquanto o livro estava a ver,
e nele se deixava perder.
Depois o livro fechar,
mas continuar sempre a sonhar.

Isabel Cabral

***********************************************

DESAFIO:

Gentilmente a Isabel Monteverdi do blog "Artista Maldito"propôs-me um desafio que já me tinha sido feito pela Marta Vasil e que eu na altura não respondi mas com a respectiva justificação.

Agora vou fazê-lo e respondo às duas.

Consiste a brincadeira, responder a 10 perguntas com nomes de um artista ou grupo musical

*****************************************************************
1. És homem ou mulher?

2. Descreve-te?

3. O que é que a pessoas pensam de ti?

4. Como descreves o teu último relacionamento?

5. Descreve o actual estado da tua relação?

6. Onde querias estar agora?

7. O que pensas a respeito do amor?

8. Como é a tua vida?

9. O que pedirias se pusesses pedir um desejo?

10. Escreve um frase sábia.

************************************************
Vou tentar:

1. Pássaro Azul

2. O azul do céu

3. Palavras para quê

4. Foi feitiço

5. Adivinha o quanto gosto de ti

6. Estrada do sol

7. Não mexas no tempo

8. Essência

9. Dava tudo para te ter

10."GOSTO DE TI DESDE AQUI ATÉ À LUA"


Foi André Sardet


Desafio

1. LUNA (multiolhares)

2. BLUE VELVET (Blue velvet)

3. NUNO SOUSA (Nuno Sousa fotógrafo amador)

4. MELLO (blog mello)

5. VIVIANA (Olhai os lírios do Campo)

Isabel Cabral

9 comentários:

Artista Maldito disse...

Boa-tarde Isabel

É uma aventura para uma criança descobrir o mundo da palavra e das imagens. E depois de descoberto nunca mais o abandonará, os livros são bons companheiros. Nunca me tinha colocado nessa perspectiva íntima, de "tocar" as personagens. Uma palavra que diz tudo, de forma tão natural.

A imagem é linda, eu adoro os sofás cobertos com flores, muito "cosy" à boa maneira british.
Tudo aqui convida à leitura.

BEIJINHOS SOLARANGOS,
Isabel

BlueVelvet disse...

Isabel,
lindo o teu poema.
Contém tudo o que deve ser um livro: para uma crinça ou para um adulto: um espaço de sonho.
Vou responder ao teu desafio, até porque já são 3 pessoas a passar-mo.
Muitos beijinhos

Teresa disse...

Quando vi a imagem da menina lembrei-me logo da Ema. Ela adora livros, mesmo sem saber ler. Bem, tem a quem se sair.
O seu poema é tao significativo. Transmite o espírito do tempo, que estamos a passar.

Já que está a aceitar desafios, vá ao "Baumgartl" e responda também. OK?!!!

Um abraco de Düsseldorf!

BC disse...

Joaninha, o que me pediste está lá.
Diz qualquer coisa ok.
Beijinho
Isabel

ematejoca disse...

Vim aqui para lhe falar de "What Kind of Music Are You?", mas fiquei-me na imagem outra vez. Parece realmente o sofa do meu quarto com uma manta parecida e a ver-se um pouco da janela e a Ema lá sentada com um livro. Vou tirar um fotografia para comparar.

Isabel, nao leve a mal, mas penso que nao respondeu às perguntas. Porque o que lá está escrito é como eu sou, depois de ter respondido às perguntas. Para a Isabel saber que música é, tem que fazer clique cá em baixo, e entao aparecem as perguntas. Sabe a razao, porque eu penso que a Isabel nao respondeu, porque a Isabel diz que pensa... aquilo nao é de pensar ... é só de escrever a resposta.

Saudacoes de um D´dorf cinzento em cinzento.

BC disse...

Bom dia Teresa!
Para ser franca eu não li nada para baixo,tinha a Mariana a querer levar o computador porque estava adoentada e queria levar o portátil para a cama.
Eu fui lá de escapadela li aquilo.
Acho que era que espécie de música é, não li mais nada para baixo daí a barraca fui responder aquilo que achei que seriam as 4 hipóteses,não vi qual era o desafio,
também seria fácil de mais só aquilo e vim emborafeliz da vida.Tipo dever cumprido.
Se tiver tempo vou lá mais tarde com calma se me deixarem, porque às vezes no meio de tantos computadores não há um para servir, a determinadas horas do dia ou da noite, ou estudar ou falar com namoradas .....e o prtátil é muito prático.
O Diogo tem dois mas são só para ele trabalho é trabalho, não dá para mexer, ainda por cima são minorcas, não consigo trabalhar naquilo.
Agora vou já sair.
Beijo
Isabel

Vieira Calado disse...

Olá, amiga!

Belos tempos, quando éramos meninos e sonhávamos com terras distantes!

Vem a propósito o comentário que fez ao meu poema.
Imagine a alegria que senti, quando, pela 1ª vez pisei solo francês e depois Paris.
Nunca sentira uma tal sensação de liberdade. Foi em 1967 que embarquei, meio clandestino, para Paris...

»»»»

Agora quanto ao meu livro, já sei:
É no dia 13 de Dezembro, pelas 21 horas, no Auditório do Campo Grande, nº 56, em Lisboa.


Estou a ouvir a Avé Maria (não sei se de Schubert, se de Gounot).
É magnífica!

Cumprimentos

Nuno de Sousa disse...

Olá amiga... desculpa só vir agora, li por alto o desafio mas a falta de tempo por estes lados anda mal :-), ando a tratar do arranque de um novo site de fotografia do qual sou o administrador que me tem tirado um pouco das visitas aos amigos bloguistas como tu... de qualquer maneira vou ler melhor o que a Isabel pretende e depois vou tentar ver se consigo responder é que de musica sou um zero à esquerda :-)
Bem agora é hore de ir caminha que já é 12.30.
Bjs grandes e uma boa noite para a minha amiga,
Nuno

BC disse...

Nuno, o comentário afinal passou só que eu não olhei para o título e estava à espera que ficasse publicado no último poema, só agora é que me ocorreu olhar, o que é que isto quererá dizer, grande distraída, ou então os neurónios cansados.
Beijo e está explicado, culpa minha.
Isabel