terça-feira, 22 de julho de 2008

Palavra

Na volúpia arrogante do granito
gravei, sorrindo, como se fora um grito,
uma palavra simples de esperança.

E as minhas veias foram arco-íris,
círios e fontes e asas quando vi
que, na pétrea aridez do seu destino,
parou a soletrá-la, uma criança.
Mariano Calado

5 comentários:

RENARD disse...

Querida BC:

A inocência das crianças e a nossa vontade imensa das proteger está sempre bem patente nos posts de toda a tribo!
É uma das paixões que todos partilhamos. :)

Beijo para ti e para a tua família.

Maria do Carmo Cruz disse...

Prefiro ler e reler. É o melhor comentário que posso fazer. Graças a Deus pela calma que finalmente chegou.
Beijo, Avó Pirueta

Multiolhares disse...

Só as crianças sabem soletrar
A simplicidade da vida

beijos

BC disse...

Os sorrisos das crianças....os nossos sorrisos....
E, os meu sorrisos para vocês
Isabel

1/4 de Fada disse...

Espero que os problemas com o teu filho tenham passado. Foi com o teu filho, não estou enganada, pois não?
Beijinhos