segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Cumplicidades

Me, and my husband E entre dois olhares
a mais bela poesia,
foi escrita.
No meio de cumplicidades,
falámos de amores,
amores vividos,
entre músicas, sinfonias,
somente olhares
apenas desmascarados
pelos olhares indiscretos,
do céu, dos pinheiros, das aves.
como testemunhas.
Duma música divinal
tocada por anjos
com suas harpas douradas.
As palavras ficaram por dizer.
Nas veias os sentidos,
bailaram atordoados
e nos envolveram,
e entre o céu e a terra
o Amor aconteceu.
Sem palavras,
sem lamúrias.
Apenas sorrisos,
só sentidos por nós dois
à flor da pele
Porque visualmente somos dois
mas há muito um só
e caminhamos
por entre verdes
e caminhamos
por entre azuis,
pelas mesmas estradas
em caminhos partilhadas
e sorrimos
na perfeição dum ser
de mãos dadas
até Deus querer.

Isabel Cabral

13 comentários:

Fátima André disse...

Sem palavras...
Magistral!

Beijos e Sorrisos :)

Viviana disse...

Lindo, encantador!

Obrigada Isabel

Um beijo

viviana

Kleine Hexe disse...

É mesmo...sublime o uno. Todos somos um...e no amor!

Beijinhos de admiração.

1/4 de Fada disse...

Isabel, estavas mesmo a fazer falta, para nos encantares com as tuas palavras lindas. Aqueces a alma!

BlueVelvet disse...

Isabel,
que forma sublime de escrever o Amor, seja ele de que tipo for.
Fica-se mais leve depois de visitar este cantinho.
Beijinhos e boa semana

Ps: Que pena não ter podido ir ontem. Mas decerto não faltarão ocasiões.

Marta disse...

Declaração perfeita...
O Amor leve como o céu, os pinheiros e as aves que não são tão indiscretos como pensas....
Obrigada pela visita...
Até já
Beijos e abraços
Marta

Meditolândia disse...

Esta poesia não é para todos.
Para que ela se cumpra é necessário sacrifício. Nos dias atuais qual vivemos, os mais jovens não têm mais tanta dedicação ao ideal que tu retratas. Nossos dias...

Abraços!
Mauricio

Mello disse...

O seu blogue fala de amor e de afecto. A minha vida é movida pelo afecto... as minhas palavras são afectuosas e os meus actos ainda mais. Penso, várias vezes, antes de falar e de escrever… mas nem sempre transmito afectividade... todos somos distraídos e, por vezes, esquecemos o outro.
Gostei do seu blogue... fala de mar e eu sempre vivi com o mar à minha volta. Vim até aqui porque li que você era distraída...
Achei, engraçado... pois a distracção prossegue-me desde de criança!
Graça Mello

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Teresa disse...

Que hino ao amor!
O meu "husband" também merecia um poema sublime como este.
Ele também é para mim o Mr. Right e nao um "sapo verde".

Abracos!

JC disse...

Mão na mão e olhos nos olhos... todos os sentidos...
beijinhos das nuvens

BC disse...

E MAIS UMA VEZ PERCEBI QUE SOU MUITO DISTRAÍDA.
Ou ando sempre a mil à hora também é verdade.Como neste momento.
Agradeço ao anónimo que viria com mais calma e me corrigiu a palavra husband que eu tinha posto com um "u".

Não tem qualquer problema, até se podia ter identificado, não levo a mal, sou muito frontal e assumo os erros com toda a naturalidade.
Obrigada ao anónimo
Isabel

BC disse...

Obrigada a todos os que aqui apareceram e comentaram o meu poema.
Beijinhos e sorrisinhos
Isabel