terça-feira, 30 de setembro de 2008

O nosso planeta

Um vento leve
na cara me tocou,

e de mansinho me levou.
Como se algo me quisesse dizer,
anda, anda, prá frente,
segue por esse caminho,
mas eu tive medo,
lá longe,
uma escuridão,
num grande turbilhão,
senti um forte arrepio
pela espinha abaixo

muito frio, muito fumo.
Tudo era negro, gelado.
Hesitei e vi,
algo, parecido com o futuro.
Bateu mais forte o meu coração.

Onde estava? que lugar era aquele?

_Aquele não era certamente
o mundo onde nasci, onde cresci.
Onde estavam as árvores
com os seus frutos,
e os seus deliciosos sabores.
Onde estavam as flores,
com os seus perfumes, suas cores,
e seus cheiros, presenteiros.
Era tudo tão escuro, tão cinzento,
que eu estremeci,
só queria regressar,
continuar a andar
por esse mundo fora.
Voltar a plantar,
as árvores, as flores...
Queria voltar a sentir o vento
a tocar-me na cara de mansinho
a abanar deliciosamente

as verdes folhas.
Ver uma borboleta pousar,
e depois voltar a voar.
Ver meninos sorrir,
com suas brincadeiras,
correr e saltar,
empurrados pelo vento, tão gostoso,
pegar numa flor tão cheirosa,
uma colorida borboleta.
Por isto quero continuar a lutar.
Plantarei mais árvores,
povoarei os campos de flores
Mas, chegarei a tempo???
Todos diremos presente,
e vamos conhecer de novo este planeta
que se está a transformar
mas para isso todos temos
que ajudar, a construir um mundo novo,
onde todos possamos,
continuar a respirar.

A BRINCAR E A SORRIR....


Isabel Cabral

9 comentários:

BC disse...

A intensão é tornar o vento mais leve, mas por agora acho que ainda está muito carregado,quando a Teresa falou no "vento leve", já estava pronta para publicar "o vento ameno", lá chegaremos, mas levará o seu tempo, sem dúvida.
Isto não está fácil em nenhum sector.
E O AMBIENTE PREOCUPA-ME MUITO, MUITO MESMO, ESPECIALMENTE PARA AS GERAÇÕES QUE AINDA ESTÃO A DAR OS
PRIMEIROS PASSOS.
Beijinhos, daqui sempre sopra um vento ameno e gostoso, pelo menos tento.

BC disse...

Mas ainda estava a pensar como é possível, eu ter escrito ontem um poema, começado por um vento leve, e a Teresa falar-me no vento leve e quando vi o comentário já estava publicado.
Coincidências???
São tantas na minha vida, que estranho, força de pensamento?
Encontros???
Chamadas????
Perguntemos ao psicólogo.

Kleine Hexe disse...

Olá querida venho só dizer que tenho andado sem net...dai a minha ausência. Beijinhos MIL =)

BC disse...

intenção - corrijo
É o que faz publicar a altas horas da noite, ou então escrever muito depressa porque os computadores,são ocupados por várias pessoas cá em casa.
E DISTRAÍDA SEMPRE FUI.

Teresa disse...

Estou de saída, mas antes tenho que lhe dizer, Isabel, vale a pena continuar, sim vale mesmo a pena. Nao nos deixe outra vez. E como já dizia o nosso Pessoa "tudo vale a pena se a alma na é pequena" e a sua alma é grande.

Nao sou de palavras carinhosas, já estou neste país há muito tempo, mas quero dizer-lhe que senti muito a sua ausencia.

Até hoje à noite, agora só li o poema, que procuro desde ontem, à pressa, mas eu preciso sempre de muito tempo para ler poesia.

Saudacoes outonais!

Viviana disse...

Olá Isabel,

Finalmente aqui estou.

Quero, com calma, ler e sentir o que escreve.

Pois eu sei que cada palavra, cada expressão, cada traço que aqui nos oferece... é tudo muito sentido e muito vivido.

È o que enche o seu coração.

E por isso eu respeito muito as suas palavras.

Gostei muito deste poema sobre o vento leve.

Há na verdade, muitos motivos preocupantes no horizonte.

Todos teremos que fazer alguma coisa, por mais pequena que seja.

Tenha uma noite tranquila

um abraço carinhoso

viviana

Teresa disse...

Já li este poema várias vezes e tenho estado a pensar se a Isabel realmente tem razao. Nao vejo o nosso futuro assim tao assustador, mas eu sou muito positiva e vejo na escuridao mais intensa sempre uma luzinha.
É certa esta reflexao sobre o nosso Mundo e o seu Ambiente.
Eu faco tudo para o deixar como o encontrei.

Quanto ao "vento leve" no meu link era o título que tinha. Vim a correr para o ler e nao o encontrei, só hoje.

Saudacoes outonais!

Fátima André disse...

Haverá sempre LUZ enquanto a Humanidade ACREDITAR...
Beijos e Sorrisos de LUZ :))

BC disse...

Estive a manhã toda sem Internet. já ontem aconteceu o mesmo, mas não tem nada a ver com os nossos computadores deve ser problema da rede mesmo.
Quanto ao nosso planeta, Teresa tem toda a razão, eu também tento ser optimista, mas os escritores(não eu porque não o sou)tentam misturar a realidade com a ficção, e por vezes exageram nas palavras,
eu quando escrevo tento ser o mais
real possível e levar aos outros os meus sentimentos,mas neste caso específico temos que ser um bocadinho "pesados",com as palavras que usamos, precisamente
para alertar.
Mas Teresa, concordo.
"VAMOS SER POSITIVOS" e pensar que todos terão consciência sobre estes
problemas que dizem respeito ao ambiente e ao "NOSSO PLANETA"