quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Sonho

GAIVOTA




A VIDA "VIVIDA" PELA GAIVOTA!!!!!!

A FORÇA!!!!!!
Gaivota do além mar,

É preciso saber voar!

Tu que voas, eu que voo,
Onde iremos afinal!?
quero partir,

antes de chegar o temporal.

Num voo alucinante,
percorreremos, mares, oceanos.
Lá em águas bem distante,
e seremos nós, e muitos outros.


Na boca levaremos uma flor,
que representará o Amor,
e de branco será Paz,
e não voltaremos para trás.

O caminho é sempre em frente.
não desistiremos

e no voo planaremos,
e do mar brotaremos,
serei onda,
serei mar,
serei bruma,
serei dar,
e a teu lado lutarei.

Num momento,
serei aquilo que nunca fui,
e entre o azul e o branco,
entre a onda e a espuma,
flutuarei e contigo voarei,
até meu porto de abrigo.

E juntos realizaremos,
o nosso sonho
de aprender a voar.


Isabel Cabral





15 comentários:

Artista Maldito disse...

Este poema, Isabelita, fez-me lembrar Fernão Capelo Gaivota. É verdade, nós temos de aprender a voar e a sonhar sobre essa vastidão que de azul se estende e invade a nossa alma.
É assim que vejo o mar nos gritos das gaivotas, quando atravessam as minhas manhãs.

Beijinhos
Isabel

Marta Vasil disse...

Isabel

Passei apenas para te dizer que te deixei no meu "canto", com muito carinho e convicção, um selo (BLOG DE OURO). Gostaria que o fosses lá buscar por aquilo que ele representa.

Um grnde beijinho

MV

BC disse...

Nos meus apontamentos, nas minhas folhas de rascunhos, ponho sempre as datas, e este poema já tinha sido escrito há dois meses atrás, e como a minha ligação literária ao Fernão Capelo Gaivota é muito grande, desde a minha adolescência, foi um filme que vi na altura e que adorei.Li o livro montes de vezes.

O chamamento do mar, das gaivotas, do ar, sempre me fascinou, e como a música quanto a mim é lindíssima, e leva-me para outras paragens,e podemos comparar factos da nossa vida à vida de Fernão Capelo, junto com o poema um dos videos do filme Fernão Capelo (Dear Father)
Beijitos e :)s
Isabel

BC disse...

Querida Marta!
A mulher especial, não sou eu, és tu,obrigada pela convicção depositada em mim.
Irei buscá-lo certamente, agora tenho que sair, irei lá mais tarde.
Já arrecadei alguns, mas não sei porquê este tem um sabor diferente,eu sei a razão,mas guardo-a juntinho ao meu coração.
Um grande beijinho também para ti.
Isabel

BC disse...

Esqueci-me de um promenor, também não o levo ainda porque tenho que pensar nas mulheres diferentes e especiais a quem vou passar este prémio que tu me passas-te com tanto carinho.
Beijocas
Isabel

ematejoca disse...

Nunca vi o filme, mas tenho o livro "Fernão Capelo Gaivota" em alemao. Ao ler o poema, lembrei-me também do Fernão Capelo.
Gostei muito desta postagem: a imagem é bela e o poema ainda mais.
Claro que a Isabel é uma mulher diferente, basta ser uma poetisa. Só me admira a Isabel aceitar esse prémio, pois da última vez, que alguém lhe deu um prémio, a Isabel disse, que nao gostava de prémios. Vá lá uma pessoa compreender estes poetas!!!

Para a Isabel nao pensar, que os meus miolos gelaram com o frio, veja o esclarecimento que escrevi, na postagem do anivarsário da Christiane.

BC disse...

*Olá Teresa!
Obrigada pelo elogio ao poema, e ao
eu ser uma mulher especial, não me sinto assim, e não é falsa modéstia, sou eu mesma.
Tem razão quando diz que eu não gostava de receber prémios, não é bem não gostar de receber prémios, e continuo com a mesma opinião,o que não gosto mesmo é de fazer escolhas.

*As mulheres e os homens que eu visito na blogosfera para mim são especiais à partida, de contrário, não os visitaria.

*Das 30 ou 40 pessoas que possa ler, ter que escolher meia dúzia, para mim é sempre difícil, porque estão todos em pé de igualdade, não tanto pelos blogues nestes casos, mas mais pelos seres humanos que eu encontro por trás das palavras que escrevem ou por aquilo que eu me apercebo que as pessoas são ao longo do tempo, e fico sempre com um sabor de injustiça de que não gosto.
De todos os prémios que recebi, isso aconteceu, e da última vez realmente disse qualquer coisa desse género de não gostar.

*O facto de dizer que este teve um
sabor especial,tem uma razão de ser que não tem a ver com as pessoas é comigo mesma e prefiro guardar para mim.

*O critério vai ser precisamente o que disse, não vou escolher blogues, irei escolher pessoas, neste caso mulheres, que ainda não receberam o prémio e que de alguma forma são especiais para mim daí o facto de não escolher já, farei com calma,para não ferir ninguém, e já fiz uma postagem com tanto palavreado.

*Mas a minha decisão é clara como a água,e aborrece-me tomar as decisões sempre com o coração e não com a razão, seria mais fácil não meter o coração em determinadas situações, ou melhor em determinadas circunstâncias.
Espero não ter ferido susceptibilidades e ter dado as razões óbvias para a minha decisão.
Beijinhos
Isabel

Marta Vasil disse...

Isabel

Penso que uma mulher especial só o é, porque há outras mulheres especiais: humanamente, intelectualmente, socialmente afectivamente... (falo apenas de mulheres porque falamos de um selo só para mulheres).
Reafirmo que foi muita convicção que te ofereci o Blogue de Ouro. Acho que ficou em boas mãos, melhor, todas as mãos que o receberam são mãos especiais, entre tantas outras que sei, haver.

Beijinhos e lindo fim de semana com as palavras nas mãos.

MV

licas disse...

Como sempre Isabel, deliciou-me com o seu poema.
É de uma pureza de sentimentos e de Amor que toca, suponho que, até os mais insensíveis.
Faz-nos bem antes de dormir ler algo que acalme os minutos mais tensos do dia a dia.
Obrigada e uma noite descansada.
Licas(Isabel)

Vieira Calado disse...

Aqui onde vivo, há milhares de gaivotas.

Até são atracção turística,
porque perderam a vergonha
e quase vêm comer à mão!

Beijinhos

Anastácio Soberbo disse...

Olá Isabel
Que lindo poema. Quisera eu saber voar entre o azul do céu e as águas do mar.
Tenha um bom fim de semana.
Cumprimentos para a Isabel

Viviana disse...

Querida Isabel,

Muito obrigada.

As palavras hoje chamam-se lágrimas...

Sei que as saberá ler.

Um beijo

viviana

gaivota disse...

as gaivotas, minha amiga... são lindasssssssssssssssssss
temos o areal cheio delas, em pequenas comunidades desde o norte até ao sul da praia... ali estão em bandos, ao sol, sossegadas até que apareça alguém com sacos de pão esmigalhado e lhes fereça!
são lindassssssssssssssssss
bom fim de semana, isabel
beijinhos

Marta Vasil disse...

Isabel
Que bem me senti ao ler este poema! Razões minhas, pessoais...


A força pode ir encontrar-se nas mais variadas coisas e situações. Representaste-a aqui num voo de ti e de uma gaivota. Este voo feito no céu certamente nos deixará ver uma MANCHA DE LILASES BRANCOS...

Beijinhos em voo de gaivota

MV

BC disse...

Marta, vi o comentário agora, que bem que me sinto quando faço chegar as minhas palavas a alguém e quando alguém se revê nelas.
Obrigada
Beijinhos
Isabel

Mais logo passo pelo teu cantinho