domingo, 22 de março de 2009

Primavera da vida

Aquele mundo imundo, explorei
até à exaustão
onde não existiam sorrisos,
nem sóis, nem luas.


Na mão uma flor,
nos lábios um sorriso,
uma mão cheia de amor
no corpo o infinito.

Um dia chegado,
anunciava outro tempo
outro dia,
na flor beijada.


Já não havia frio
apenas a suavidade,
o tempo ameno
e a natureza gritava,
clamava por esse tempo.

E os nossos corpos chamavam
pelo calor,
mascarado em sol
transformado em amor
aquele que todos amavam.
Em sede, em agonia
mas que agora se tornaria,
num amor real
agora concretizado
numa Primavera
que se implantava
numa natureza sedenta
e dentro de nós.
Transformada agora
em dois sóis, duas luas
em duas mãos
para sempre unidas
e juntas
na mesma Primavera.


Isabel Cabral






25 comentários:

Maria Emília disse...

Como as estações do ano, é assim o amor.
Beijinho,
Maria Emília

Marta Vasil disse...

Isabelita

A nossa vida é o ciclo das estações temporais. Conforme nos sentimos,assim as "implantamos". E implantar em nós a Primavera é adoçar, é fazer renascer, é transformar, é viver "dois sóis, duas luas em duas mãos para sempre unidas e juntas na mesma Primavera."

É uma doçura este teu poema.

Beijinhos e semana de Primavera

poematar disse...

Belíssimos poemas. Funiona como uma metáfora do que devemos fazer no muito de"imundo" que este mundo tem, usando oq ue de bom ele tem: "Na mão uma flor,/nos lábios um sorriso,(...)". Um abraço e boa semana. Dá um saltinho até mim, quando puderes...

Artista Maldito disse...

Olá Isabelita

Embora, por vezes, o mundo se apresente imundo, acabamos por encontrar algo de belo, algo que transforma e faz renascer de novo o que se ocultava. A Primavera vivida a dois é doce e o sorriso aflora aos lábios.

Beijinhos
Isabel

Luis Portugal disse...

Olá Isabel
Bem gostaria eu que nossas vidas se mantivessem numa Primavera em flor, pois mesmo com todas as vicissitudes teríamos sempre flores e sol.
Um Bom dia e obviamente uma Boa Semana.
Beijinhos

Licas disse...

Isabelinha
Este poema carregado de Primavera, mas lá no fundo com um aroma de tristeza, julgo estar a dizer qualquer coisa ...
Vamos deixar esse mundo imundo e viver no e para o sol, para as flores e os sorrisos de crianças.
Vá poe favor ao meu blog buscar uma rosa e corte os espinhos para que ela a possa fazer feliz.
Espero por si.
Um beijinho
Licas

Fátima André disse...

Está lindo o poema. Os sóis e as luas têm um significado especial na minha vida pessoal, por isso este poema trouxe-me brilho e boas recordações.
Beijinhos ;)

Fátima André disse...

... só para dizer que amei a imagem do topo. É linda!
:)

Marta Vasil disse...

Isabelita

Virei depois buscar o aroma da flor, agora...passa pelo meu blogue.Também enho miminho para ti - "Vale a pena acompanhar este blogue"

Beijinho

MV

BC disse...

Minha querida Marta, continuo com o mesmo problema não consigo puxar selos ou qualquer coisa do lado direito.

Pode ser que depois encontre noutro lado.
Se não o vires já sabes qual é a razão.
beijinhos e obrigada
Isabel

contracena disse...

Boa noite Isabel.
Ainda bem que encontrou o que queria, porque eu, só conheço esta música cantada pelo Morrissey.
Quanto ao seu poema, é muito bonito, apesar de um começo tristonho. Mas, continua suavemente, com um amor sereno onde a Primavera estará sempre presente.

Beijo
Fátima.

Multiolhares disse...

A primavera faz-nos sentir uma flor a desabrochar
beijos

BC disse...

Boa noite Fátima (contracena),
tentei entrar no blogue e apareceu-me aquelas palavrinhas:
O blogue só pode ser visitado por pessoas convidadas pelo autor do blogue, ou algo do género.

Como ainda há bocado falámos acho estranho, mas diz que não há erro.

Sendo assim não poderei comentar.
Beijinho
Isabel

Poesias e Canções disse...

Linda poesia e também belí´ssima ilustração que lembrou-me as obras de Isabel(Artista que denomina maldito,mas que bendito é!)

Um dia chegado,
anunciava outro tempo
outro dia,
na flor beijada.

Estes teus versos fez-me lembrar dos versos do Rei Davi no livro de Salmos:19 que diz um dia faz declaração a outro dia e uma noite mostra sabedoria a a outra noite!
Ainda falando em estações de amor;penso no quanto a alma dos poetas são parecidas sem ao menos se conhecerem...A tempos atrás escrevi:As estações do amor...
e hoje ao visitar o blog de vários amigos ou não encontrei vários textos com o mesmo título ou tema:Primavera!
Isso é maravilhoso!Porque aqui no Brasil estamos entrando no outono...e ainda não podemos ver os frutos;mas através da leitura já podemos perceber um novo tempo de flores e muitos aromas e cores;de tantos cantos e amores!
Obrigada por deixar mais bonito este mundo virtual!
Beijinhos!

Sônia Brandão disse...

A primavera está te fazendo bem!
beijinho.

Maria disse...

Estou um pouco apática por estes dias, mas prometo que me breve conseguirei escrever algo a altura de meus leitores.
Peço desculpas por ser tão frágil e neste momento estar isolada e triste, mas não consigo ser diferente neste momento.
Deixo aqui agora um pouco de minha tristeza.
Prefiro viver cada momento, mesmo que seja triste prefiro viver a tristeza, depois chegará a hora da felicidade e, está será plena como a tristeza.

Luis Portugal disse...

Olá Isabel, Bom Dia
Agradeço a rosa que me ofereceu.
Tenha um Bom Dia.
Beijinhos

Viviana disse...

Querida Isabel,

Obrigada por esta ofera-presente, saída diretinha do seu coração, para nós.

Como é belo!

Tenha um lindo dia

Um abraço

viviana

Obrigada por a rosinha doirada que já tresplantei do seu, para omeu jardim...

Anónimo disse...

Olá prima Bé,

É verdade a primavera chegou e com ela chegaram as borboletas a voar,
Nas árvores, os passarinhos juntam-se para namorar...

O perfume entra pelas janelas abertas,e o amor paira no ar...

O teu poema é lindérrimo, adorei a imagem do Sletras é muito bonito, parabéns prima por este teu cantinho nobre, aonde nós, nos podemos deliciar com os teus lindos e belos poemas.

beijinhos da tua prima Paula do Zé.
Bem haja

Carla disse...

sol da Primavera neste belo poema
beijos

Artista Maldito disse...

Olá Isabelita

Venho trazer-lhe um selinho todo azul, da cor do infinito: BLOG BLUE SEEDS:))

Vá, corra, corra a ir buscá-lo.

Beijinhos
Isabel

Colibri disse...

OLá Isabel,

Venho agradecer o teu carinhoso comentário lá no meu blog de Colibrir as Emoções.

Esse poema é lindo, muito lindo... Que sempre brilhe a luz no teu caminho e que, por onde andes, o tocar dos teus pés no chão venha acendendo novas luzes para sempre iluminarem o teu trajecto. Que ele seja estreito, porque é nele que está a luz...

Beijinhos
Colibri
--
Testemunho de Adão de Campos...
Adão de Campos era um polícia militar que perseguia e desafiava os cristãos, apedrejando igrejas evangélicas. Numa noite, um Anjo do Senhor desceu até à sua casa e disse que iria levar a sua filha com um ano e nove meses de idade, devido à sua dureza de coração e incredulidade. No dia seguinte, a sua filha morreu (venha ouvir algo extraordinário).

Nilson Barcelli disse...

Belo poema querida amiga.
"Na mão uma flor,
nos lábios um sorriso,
uma mão cheia de amor
no corpo o infinito."
Gostei desta parte, mas também de todo o poema.
Beijo.

Licas disse...

Olá Isabelinha

Agradeço o convite para Outros Sorrisos e já entrei.
Gostei, mas espero continuar a vê-la por aqui.

Um abraço
Licas

Helena Paixão disse...

Isabel,

Gostei muito de ler esta tua Primavera da Vida em que transformas o mundo imundo em "dois sóis, duas luas
em duas mãos
para sempre unidas".

Lindo!

Bjs