segunda-feira, 2 de março de 2009

Mar

Ah! meu lindo mar,
onde os barcos vão zarpar,
meu farol
que ilumina
em noites de temporal,
areia escaldante,
à noite fria,
onde teus pés enterras,
e esperas,
ver teu homem chegar.


Num sonho desesperado
de o ter de volta,

numa noite de vendaval.


Um turbilhão, de emoção
tu sentes no coração,
as ondas, a bruma, o mar
a dor, e o pão.

Mas o teu homem não volta,
ficou preso na maresia,
do fundo do mar revolto
e com sabor a sal jazeria.


Onde há búzios e estrelas,
que tu agarras na mão
e as apertas com força
e com ele pró fundo vão.


Estórias de encantar,
de marinheiros, piratas,
estórias de pasmar
de tão lindo, tão azul, que és
às vezes escuro ficas

e uma vida escutarás,
e essa vida espiarás

para sempre, envolvida
na dor de alguém, que perdeu
seu ente querido, seu amor

seu homem, seu companheiro

e com essa dor ficarás
toda uma vida,
de luto mascarada.


Isabel Cabral

29 comentários:

Fátima André disse...

É este paradoxo que con(funde), apaixona, extasia.
Lindo jogo de palavras.
Beijo :)

Licas disse...

Olá Isabelita Bom Dia!

Este poema tão cheio de emoção retrata a vida de muita gente que todos os dias parte à procura de algo por vezes inacessível.
É esta imagem que todos nós devemos colocar no nosso pensamento para conseguirmos vencer as ondas da vida.

Muitas vezes também fica um luto, mas esse teremos de o fazer com fé e esperança no dia seguinte.

Talvez porque foi trazido por si, dei comigo a recuar até 29 de Julho de 1969 nas Berlengas...

Um beijinho
Licas

Carla disse...

assim é o mar contraditório provoca amor e dor
beijos

Anónimo disse...

Muito Bom!!!
Gostei imenso do Blog.
Se tiveres tempo para artistas em principio de carreira visita o blog do grupo de artistas Articum:
http://articum.blogspot.com

Anónimo disse...

Muito Bom!!!
Gostei imenso do Blog.
Se tiveres tempo para artistas em principio de carreira visita o blog do grupo de artistas Articum:
http://articum.blogspot.com

BC disse...

Pois senhor anónimo, já espreitei o blog, muito bom, mas será sempre bom ver pessoalmente.
Talvez tenha oportunidade de ir às vossas exposições.
Gostaria.
Como são muitos, não sei quem me enviou o mail porque não está identificado, se o poder fazer, seria bom._______________

De qualquer modo muito obrigada pela visita, a minha "praia", são mais as palavras, mas a estética e a arte está em tudo, e nunca se pode dissociar da escrita assim como a música penso eu._________
Abraço para todos e boa sorte!!!
Isabel

contracena disse...

Olá BC Isabel.
Um sentido poema de mar, perdas, luto..., e máscaras :)

Penso que a dor, o luto não fica para toda a vida. Tudo tem o seu tempo.

Na memória, sim, fica a lembrança para toda a vida. Impossível esquecer, principalmente os momentos felizes. A vida é feita de pequenos espaços de tempo.
Mas a vida tem mesmo que continuar, por mais que custe, nomeadamente para aqueles(as) que perderam o seu grande amor fora de tempo.

Um abraço.

BC disse...

Olá Fátima (contracena),
Este foi mais um poema de homenagem às gentes do mar.__________
À sua luta do dia à dia, às mulheres, às namoradas, que na praia esperam pelos seus "amores", que supostamente deveriam regressar, mas há dias em que não voltam, na luta desigual contra um mar, que consegue ser tão belo, mas ao mesmo tempo tão tenebroso.___________.

Mas a luta pelo pão no dia à dia destas gentes impõem-se.___________
Beijos
Isabel

Viviana disse...

Isabel,

Obrigada, por este belíssimo poema sobre o mar e as suas gentes.

È belo! Muito belo!

Um abraço

viviana

gaivota disse...

tudo o que é mar, as gentes de mar
é sempre tão bom de se ver, ler e escrever
é ir ouvir o som do mar, cheirá-lo!
beijinhos

contracena disse...

Eu percebi, Isabel. Deu-me foi para divagar um pouco sobre a "perda", a "dor", o "luto".
Já agora, gosto muito do quadro em cima e da sua criadora. É pena não estar identificado.

Um beijo.

BC disse...

Entendida a mensagem Fátima eu quis
só justificar um pouco quando escrevo coisas mais pesadas,ou mais fortes nas palavras, mas essas a maior parte das vezes são a realidade.______________

Quando escrevemos coisas mais leves, entramos no tal mundo da fantasia, da magia, da ficção, das crianças de que nem toda a gente gosta, eu pessoalmente adoro, a vida já é dura de mais._______________

Quanto à imagem, não sei mesmo de quem é, são tiradas da Internet, se tem autor eu faço alusão, se não tem, fica em branco, mas também gostei muito.
Eu estaria tentada a atirar com um pintor, mas é melhor não arriscar._________
Beijo
Isabel

Viviana disse...

Isabel,

Volto só para dizer que estive fora um tempo.

Uma boa noite para si.

viviana

contracena disse...

Tudo bem Isabel, a sério! Até peço desculpa.
É que eu "sei" muito bem ao que "sabe" a "dor" da "perda"!
Quanto à obra de arte..., vai ter que procurar :)))

BC Isabel, um beijo. Tudo de bom!!!

Licas disse...

Boa Noite Amiga!
por favor passe no meu blog. Está lá o resultado do meu desafio.
Beijinhos
Durma em Paz
Licas

BC disse...

Mais uma vez cruzámo-nos Lica, eu estava já a esvrever no computador do quarto dos miúdos, porque o António estava no outro a trabahar.

Mas o Diogo chegou à presssa porque precisava tirar um documento,e demorou quase uma hora, eu deixei minimizado e agora vim acabar de escrever, o fim do comemtário, mas já lá tinha ido.
Boa noite
Isabel

BC disse...

escrever - ficou não sei o quê que barafunda de letras.

alcinda leal disse...

BC já lá está a resposta ao desafio!
Tardou porque houve Carnaval, alguns passeios e muita preguiça!
Também publiquei um poema do tio, espero que ele não se aborreça!
Beijinhos para todos meus e do Rui!
Alcinda

mundo azul disse...

___________________________________


Muito bonito o seu poema, Isabel!!!


Beijos de luz e o meu carinho...

__________________________________

O Profeta disse...

És madeira verde
Ou apenas mulher perdida
Testemunha de berço feito de penas
Arca perdida da dor contida

Tudo isto é universo
Em límpida poça de água
Onde as conchas têm a forma de coração
Onde o sal afasta a mágoa

A ti que és minha amiga especial
convido-te a partilhar comigo o “sítio das conchas azuis”




Beijo azul

Artista Maldito disse...

Olá Isabelita

Ainda hohe estive na praia a olhar o mar. Encanta, ao mesmo tempo é nostálgico e envolve-nos de um misto de sensações-emoções.

É assim que li o seu poema e o senti.

Beijinhos
Isabel

Anjo Negro disse...

nem sempre um sorriso resolve, mas ao menos seguimos a tentativa...

palavras, palavras... meras palavras as minhas não são grande coisa, no entanto, continou a escrever nm que seja para passar para o papel uma ideia, um sorriso ou uma lagrima.


bjs

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA ISABEL, LINDO POEMA AMIGA... ADOREI!!!
UM GRANDE ABRAÇO DE CARINHO E TERNURA,
FERNANDINHA

BC disse...

Olá Alcinda, não tem importância, era apenas uma brincadeira.

Com respeito ao poema, o meu pai não fica aborrecido, eu de vez em quando também publico alguns.
Beijinhos também para vocês.

O quadro da Ana, foi uma bonita homenagem e o teu gesto também.

BC disse...

Isabel o mar muitas vezes é um bálsamo.

Quanta paz podemos tirar do mar em dias de calmaria, o azul, o verde,basta olhar, e na linha do horizonte a junção entre o mar e o céu.
MARAVILHOSO é preciso aproveitar mais aquilo que a natureza nos oferece todos os dias.
Beijo
Isabel

BC disse...

Viva Liliana,
vi o teu blog, vi as tuas palavras, e também vi a tua idade(19 anos).________________

Dizes que as tuas palavras não são grande coisa, eu não acho isso, não te subestimes, tens que dar valor a ti própria, e ter confiança em ti.________

Não valorizas demasiado o sorriso, mas também não o rejeitas totalmente.________

Temos todos que aprender a sorrir mais, já reparas-te que nós portugueses somos todos muito tristes.________________

Eu sei que o sorriso não resolve problemas, mas se aprendermos a sorrir mais no dia à dia, faz-nos bem a nós e damos mais alegria a quem vive à nossa volta.___________
EXPERIMENTA!!!!
Beijinho
Isabel

Fragmentos Betty Martins disse...

.________querida Isabel





em



.palavras______sentir[es]
profundos


belo poema





__________///









beijO_____ternO

Fragmentos Betty Martins disse...

._____querida Isabel




já está os comentários a funcionar


_____aconteceu ali qualquer coisa que não entendi muito bem_____mas já está ok








beijO_____ternO

ematejoca disse...

Esta pintura do Picasso é uma das minhas preferidas. Fantástica escolha, Isabel. E poema é também um dos meus preferidos. É triste, e lembra-me a luta dos pescadores da Póvoa do Varzim!

Já estive aqui várias vezes __
mas como quis nunca mais comentar, não comentei. Entretanto mudei de ideias...
A Isabel sabe, que eu sou uma grande admiradora da sua Poesia, seja qual for o tema: a realidade ou o mundo da fantasia.
A Isabel herdou a veia poética do seu pai. Claro, que há poemas de que gosto mais do que outros. Mas isso acontece com os poemas de outros poetas também.

Eu só escrevo críticas quando algum jornal me paga para o fazer, aqui nos comentários deixo pura e simplesmente a minha opinião.

Esta ladaínha, no fundo, não tem nada a ver consigo, Isabel!

Beijinho,
Teresa