segunda-feira, 27 de outubro de 2008

A preto e branco

Sabes Joana, as tuas palavras e a tua imagem a preto e branco, comoveram-me muito, não pude
deixar de pensar em mim, pois já passei por essa perca (doutra forma e com outra idade). Situações diferentes, mas, o preto e branco vai passando suavemente, com o tempo, estas cores
de alfazema, lavanda, com cheiros suaves que te ofereço vão passando aos poucos, a outras cores na nossa vida, não deixando de termos sempre os entes queridos no nosso pensamento, dentro de nós para sempre, e lembrando-nos sempre dos bons momentos, os que foram coloridos.
Quis deixar-te umas palavras, que já escrevi por aí, mas não podia deixar de as escrever de novo, estas, ou outras.

E AQUI TAS DEIXO:
-Para aqueles que conseguem chorar!
-Para aqueles que conseguem sorrir!
-Para aqueles que conseguem voar!
-Para aqueles que conseguem amar!
-Para aqueles que conseguem chegar às estrelas!

Hoje acordei,
e dei comigo
a pensar!
como eu queria voar!!!

Nas asas do vento,
pra lá do horizonte
entre o céu,
E O MAR!!!

Falar com as gaivotas,
com elas poder voar,
e brincar!
e também aprender
A FALAR!!!

Cair sobre as águas
E FLUTUAR!!!
Beber aquele sal
e na areia os pés enterrar!
com elas também no ar
cantar e bailar.
Por aí sempre
A PAIRAR!!!

Para mundos distantes
Onde só eu pudesse
AMAR!!!
Amar quem precisa
de uma mão amiga,
e ir a lugares,
que eu sei que
não vou,
mas!!!
Ai, se eu pudesse
VOAR!!!

Isabel Cabral

10 comentários:

Teresa disse...

Belo e triste! Branco e preto lembra-me a perda de um ente querido.
Sem palavras para descrever a doçura e profundidade das suas palavras, Isabel- Guardadas ficarão no meu pensamento.

f@ disse...

PRETO E BRANCO E OUTRAS CORES QUE DEIXAS NAS ENTRELINHAS...
O que importa mesmo é o colorido de ti...
beijinhos das nuvens

BlueVelvet disse...

Voar e flutuar é o que mais gosto.
Não sei é dizer isso como tu.
Lindo.
Adorei.
Beijinhos

amor en libertad disse...

la verdad nos hará libres: aprenderemos a volar cuando busquemos la verdad

s

Mello disse...

Gostei muito do poema!Muito mesmo.
Entendi a mensagem, mas perdoa-me não a quero comentar. No entanto, posso salientar o teu gesto de afecto, que é lindo, lindo...

Beijinhos,


Graça Mello

Teresa disse...

Sobre a Katherine Bradley e a Edith Emma Cooper, leia a minha resposta, por favor!
Como nao costumo responder a comentários, nao sei se a Isabel voltava lá. E eu tive necessidade de explicar como eram emancipadas essas duas "Sapho" vitorianas.

Fátima André disse...

O AMOR é o sentimento que fica para a eternidade.
São marcas como estas que vão colorindo pedaços da nossa história, mesmo quando o preto e branco teima aparecer.

1/4 de Fada disse...

Comreendi a razão do teu poema, que é lindo e tão triste e fiquei incapaz de o comentar. Felizmente, como dizes, a dor vai ficando pintada de tons mais suaves...

Joana Carvalho disse...

Agradeço imenso estas suas palavras a mim dedicadas... Gostei muito deste seu gesto! Beijinho grande...

gaivota disse...

lindoooo, mesmo com emoção triste... há que ir suavizando...
gostei imenso de passar aqui, ando atrazada com tantos afazeres...
beijinhos