domingo, 19 de outubro de 2008

Da janela do meu quarto

Através da janela
do meu quarto,
vejo coisas, oiço coisas,
que outrora tão longe
as sentia
Tantas cores que se vão
desmultiplicando,
agora no Outono,
entre os verdes e castanhos
misturadas entre as flores,
de duas se dsdobram
e se diluem no castanho
da terra abençoada
que tantas cores nos dá
ao longo de todo o ano,
cheiro de terra molhada,
folhas caídas, se despem
as árvores aos poucos
numa vergonha
cansada.
Oiço sons, cheiro perfumes
na cara o vento me beija
a chuva me molha
e me aconselham
e o perfume das flores
minhas cúmplices
de que eu retiro mil perfumes
diluídos
da begónia, aos brincos de princesa
das hortênsias à alfazema
e ao longe o mar que bate
e me chama
num abraço profundo
de ondas violentas
que batem com força
e eu desço, e nas algas
me embrulho
no castanho, não da terra
mas do mar misturado com a areia
que traz búzios, que traz algas
e eu não sei se subo ou desço
se é terra, ou mar
só sei que me envolvo
entre cheiros delicados
onde há terra molhada
e um cheiro a maresia
e entre o mar e a terra
eu fico e me afundo
e neles me vejo
e com eles me misturo
todos os dias
da minha vida!!!

Isabel Cabral



16 comentários:

Teresa disse...

Levo a música do seu poema e todos os cheiros que ele envolve comigo. Vou tentar dormir e sonhar com o arco iris da sua poesia.

f@ disse...

Olá Isabel.... belíssimo poema
Perfume que anda no ar ... das palavras da imagem ... da janela do teu quarto um cé de asas e nuvens bonitas

Beijinhos das nuvens

Viviana disse...

Olá Isabel,

Ah, mas como é bom vir aqui e ter á nossa espera presentes perfumados e cheios de beleza, como este!

Lindo, muito limdo!

Só um pormenor:

Olho a imagem e não é que dou de caras com "os meus patos"!?

São eles!

A voar por cima da minha cabeça em formação em V, todos os dias ás 19 horas!

Onde os descobriu?

Será que eles passam o dia aí para os seus lados e quando os vejo á noite, vêm daí?

Engraçado.

Um beijo
Viviana

BC disse...

Teresa espero que tenha dormido bem.
Espero que os cheiros da flores tenham chegado aí e a música também
Beijos

BC disse...

Pois é F@, esta não é propriamente a janela real do meu quarto, mas quando escrevi pensei na minha janela do quarto no Alentejo, onde tenho todos esses cheiros perfumados, o barulho do mar e as cores principalmente as cores, que me ficam na retina, pela manhã quando abro a janela, e sinto na realidade todos esses cheiros.
Beijocas

BC disse...

E,é Viviana, quem sabe os pássaros (patos) poderão ser os mesmos que voam em círculo e vão deixando mensagens por onde passam.
Numa hora estão num sítio, noutra hora estão noutro e asssim vão deixando o seu rasto, mas é preciso observar, observar sempre.
Estas pequenas coisas só vê quem fôr bom observador e sensível à natureza.
Beijinhos

Carla disse...

em doces cores perfumadas estas palavras entranharam-se na minha pele
beijos

Carla disse...

em doces cores perfumadas estas palavras entranharam-se na minha pele
beijos

Tentativas Poemáticas disse...

Olá Isabel
Os odores que entram pela janela do meu quarto (não no Alentejo mas no Ribatejo, onde vivi alguns anos) realmente não têm nada a ver com o Outono em Cascais ou em Belas, onde resido.
"...e com eles me misturo
todos os dias
da minha vida!!!"
Um abraço ao esposo, beijinho com ternura à Mariana e outro para si.
António

BC disse...

Carla, obrigada pela visita e pelas palavras se terem entranhado
na sua pele, é sinal que chegam aos outros.
Beijos

BC disse...

Olá António!
Tem andado desaparecido.
De facto os cheiros são característicos de terra para terra, eu sinto-os muito, consigo detectar a terra onde estou pelos cheiros ou da terra ou do mar.
Os cheiros são tão diferentes e tão intensos.
Beijo para si também e obrigada, o abraço já foi entregue e o beijo também.
Beijo também para si.

BlueVelvet disse...

Que coisas lindas vês da janela do teu quarto.
E que maneira soberba de no-las contares.
Veludinhos azuis

Anónimo disse...

hortênsias

Tantos erros!!! Que beleza têm os seus poemas? Um punhado de linhadas atiradas...

BC disse...

Chega!!!!

O que quer de mim ????
Pelo menos tenha a coragem de se identificar.
Não só me corrige constantemente como me ofende.
Eu tenho vergonha de publicar os seus comentários anónimos, não desço tão baixo, é o segundo que publico mas não tente mais porque eles se vão acumulando na minha caixa postal, e já tenho muitos enviados por si, se escrevo tão mal porque é que me lê?????
Interessante, para saber tanto da minha escrita é certamente da blogosfera.
Tenha vergonha, fiz-lhe algum mal???
Amigo não pode ser, porque esses limitar-se-íam a corrigir alguma coisa que estivesse mal, não a ofender, e você sabe que isto já dura há muito tempo.
Dê-me o seu nome para eu lhe responder e poder defender-me porque assim não posso e isso é cobardia, e não é homem concerteza.
Sou mulher mas só as mulheres são mesquinhas a este ponto.
CHEGA!!!!

Anónimo disse...

com certeza!

1/4 de Fada disse...

Isabel:
Fazes muito bem, se me permites a opinião e a franqueza, em publicar este comentário anónimo e em responder-lhe da maneira como respondeste. Por trás do anonimato escondem-se cobardemente, na esmagadora maioria das vezes, pessoas conhecidas. Os silêncios que estão subjacentes a estes anonimatos cobardes e mesquinhos podem levar, como infelizmente sabes, a más interpretações e perigos que quando não são arrancados pela raiz e esclarecidos como deve ser assumem proporções graves. Nada como trazer imediatamente para a luz do dia quem quer ficar à sombra. Desculpa-me meter-me num assunto que não me diz directamente respeito, mas não pude deixar de te apoiar numa atitude que penso não ter sido fácil trazer aqui a público, porque nunca gostamos de nos sentirmos misturados com este tipo de coisas.