quinta-feira, 9 de outubro de 2008

"Estórias"


As "estórias" do "Era uma vez"....
das
princesas e dos princípes, dos duendes e dos mágicos, das bruxas e das fadas, nem sempre
acabam bem.


Nos nossos tempos de criança teriam sempre um final feliz, mas as "estórias" tornaram-se realidade, e a realidade de hoje é bem diferente da dos livros cor-de-rosa.

As princesas já não são iguais às princesas dos livros de encantar que à noite nos faziam sonhar até adormecer, e alguém com uma mão carinhosa nos passava a mão pela cabeça até adormecermos e voarmos para o mundo da fantasia como nas histórias de Peter Pan.

Mitológicos duendes e mágicos já não existem, em bruxas, não
acredito.

Fadas, ainda existem, na nossa imaginação e até nas nossas mãos, na magia que existe em cada
um de nós, na estrela que brilha dentro de nós, e que transpomos cá para fora de quando em vez.
Pode ser qualquer um, desde que viva em sintonia com o mundo que nos dias de hoje passa à nossa frente, que consiga voar, e chegar com a varinha mágica e ajudar alguém. Chegar a uma nuvem, falar com o vento.

No poema sobre a palavra que escrevi em tempos, referi a força da palavra, e aqui reafirmo essa força.

Mas descobri que existem palavras doentes, palavras sujas como já o tinha dito no tal poema, e essas palavras, precisam ser limpas, para não contaminarem outras palavras, que todos os dias nos bombardeiam por todo o lado.

E se o mar e o céu continuarem azuis.

E se as flores continuarem coloridas e cheirosas com um perfume que me embriague.

E se o vento me sussurrar de mansinho ao ouvido poemas de amor, então voltarei a acreditar nas "estórias" dos princípes e das princesas, nas "estórias" de encantar.

Então continuarei a acreditar no"ERA UMA VEZ"....... nos princípes e nas princesas, nas fadas e nos duendes!!!!

E CONTINUAREI A SONHAR À NOITE COM O PETER PAN , com a sininho e todos os meninos que um dia voaram para o mundo da fantasia, para a Terra do Nunca.


Isabel Cabral

19 comentários:

Kleine Hexe disse...

Estava serena a ler e à medida que as palavras entravam no ouvido soava uma música ao fundo, cujo sentimento penso ser em parte similar. Mando-te o link e só te peço para que quando tiveres tempo ouvires. Cá fica a sugestão: Ana Carolina - Só de Sacanagem :

http://br.youtube.com/watch?v=yuJmuTeDDTU

Multiolhares disse...

Hoje a maior parte de nos perdeu a arte de sonhar, de acreditar.

As histórias desde todos os tempos, foram feitas para ensinar
Ás crianças a vida, e qualquer história antiga dos príncipes e
Princesas tinham sempre algo a entregar o bem e o mal onde o bem deve sempre de vencer e o mal acaba sendo castigado.
Hoje são historias de guerra, de luta, de poder, como podem as nossas crianças
Cultivar o amor no coração
beijinhos

Vieira Calado disse...

Ainda está a tempo de publicar.
Eu vou no meu 15º livro de poesia. No princípio do mês de Novembro vou ter outro, a apresentar em Lisboa. Chama-se Itenerário.

Vou cuidar de lhe mandar um convite, por email.
Cumprimentos

1/4 de Fada disse...

Até em prosa tu fazes poesia... Acredito firmemente que é possivel voltar a acreditar nas histórias bonitas da nossa infãncia, os pesadelos acabam com o brilho do sol, com o azul do céu, com o lavar das ondas do mar.

BC disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
BC disse...

Muito obrigada pelo convite,e parabéns pelo novo lançamento.
Lá estarei se me fôr possível.
Abraço
Isabel

Marta disse...

Pois há....
Abrir a janela e expulsar essas palavras sujas...demora o seu tempo, mas consegue-se...
E com novas escrevem-se novas histórias de magia......
Obrigada pela visita....
Beijos e abraços
Marta

licas disse...

Regressei à minha infância! Imaginei as estórias lindas que ouvi e as pessoas maravilhosas que mas contaram. Hoje, estou só. Só no meio de muita gente que não entende a magia da palavra e o som do silêncio.
Como éramos mais felizes! Hoje as crianças são inundadas de informação, a maior parte das vezes muito ruidosa e que não os encaminha para o sonho, para as referências e valores.

Engraçado!
Apesar de tudo isso eu às vezes ainda sonho com o Peter Pan e esforço-me por ensinar ao meu neto o significado da poesia como linguagem da alma.
Mas, enquanto alguns de nós ainda nos lembrarmos das histórias da nossa infância, nem o Peter Pan, nem a Gata Borralheira, nem a Alice no País das Maravilhas, nem o Principezinho morrerão.

Mello disse...

Olá Poetisa!
" As palavras sujas" são o que se ouve mais nos dias de hoje! Tens razão temos de expulsá-las. Adoro as personagens da literatura infantil. Muitas delas ficaram no nosso coração e no nosso espírito...
Depois de ter um blogue, um contacto virtual com várias pessoas que considero especiais, comecei associar estes amigos sem rosto às histórias que me encantavam em criança.

Beijinhos e fica bem,

Graça Mello

BC disse...

Em resposta a todos vós e na continuação do meu post, penso que a magia das "estórias" de encantar, não estava só nas histórias.
Magia era tudo aquilo que as envolvia, todo o ritual de quem nos contava essas mesmas "estórias".
A festinha na cabeça, que sabia tão bem, o esfregar o narizinho que nos acalmava de um dia cheio de
brincadeiras, uma coceguinha nas costas.
Tudo isso nos envolvia, fazia-nos ir e voar para um mundo de fantasia e de sonho, onde a nossa inocência embarcava para paragens longínquas, e quantas vezes ao adormecermos nos sentíamos personagens dessas mesmas histórias.
Até que lentamente os olhos se íam
fechando até adormecermos, e os "culpados", "os maravilhosos culpados", eram os nossos pais, eram os nossos avós, que nos ensinaram tantas coisas, que nos Contaram tantas "estórias".
Obrigada aos pais.
Obrigada avó Isabel
Obrigada especialmente à minha linda madrinha que sabia como ninguém levar-me todos os dias, quando passava as férias em casa dos meus avós para esse mundo da fantasia e que contava Histórias como ninguém, e sabia tantas, tantas nunca me lembro de uma repetida durante tantos anos.
E QUE VENHAM MAIS AVÓS E PAIS E MADRINHAS A FAZER-NOS PASSAR PARA ESSE MUNDO MÁGICO ENQUANTO NA CAMA
AS CRIANÇAS PODEM EM PAZ ADORMECER.
Beijinhos
Isabel

Teresa disse...

Este post está há dias anunciado no meu blogue, mas nunca aparecia.
Está a suceder o mesmo com a Renard: anúncia um novo post, mas nao o encontro. Nao sei qual é a razao.

Depois de ler este seu texto, que é pura poesia, lembrei-me com muitas saudades da minha avó. Era ela que me contava histórias... histórias maravilhosas. Mas contar histórias é um dom, que nem todas as avós tem.
A propósito de avós, já leu a resposta do Diogo?!

Saudacoes outonais e amigáveis!

Teresa disse...

Este post está há dias anunciado no meu blogue, mas nunca aparecia.
Está a suceder o mesmo com a Renard: anúncia um novo post, mas nao o encontro. Nao sei qual é a razao.

Depois de ler este seu texto, que é pura poesia, lembrei-me com muitas saudades da minha avó. Era ela que me contava histórias... histórias maravilhosas. Mas contar histórias é um dom, que nem todas as avós tem.
A propósito de avós, já leu a resposta do Diogo?!

Saudacoes outonais e amigáveis!

BC disse...

Teresa, o que se passou comigo, eu expliquei,já estava escrito em rascunho e sem querer publiquei e retirei-o logo, pois não o queria
publicar naquele dia e ficou registado, informaticamente não sei como isso fuciona, mas já me tinha acontecido de facto e não ficou registado, não percebo.
Quanto à renard não sei, teria sido o mesmo, não faço a mínima ideia.
Eu por acaso passei por outro bog e tinha lá um título que não é o que está, e fui logo lá para ver e de facto não encontrei nada.

Quanto ao Diogo ele enviou-me um mail, mas como saí da parte da tarde fui visitar uma amiga de longa data e ainda não consegui ver se está lá mais alguma coisa nova.
Vou ver.
Beijinhos

Mello disse...

Olá Isabel!

Venho agradecer-te o comentário no meu blogue e dizer-te que tudo o que aparece lá escrito é da minha autoria.
Quanto ao mar, quando este nos separa da nossa família: marido, pais e irmãos, passa a ter uma beleza um tanto ou quanto castradora.

Beijinhos e fica bem,

Graça Mello

BC disse...

Mello, em relação à escrita, o facto de seres tu a escrever tem mais valor, por isso parabéns, acho que tem sempre mais valor o que é feito por nós, mesmo
que às vezes possa não sair tão bem, acontece com todos nós
Quanto ao resto, como deves imaginar não sei a vida privada das pessoas, mas visto,teres tido esse desabafo, consigo compreender
que te sintas presa, eu também me sentiria, sem dúvida, preciso dos meus perto de mim.
A POESIA VAI ATENUANDO AS DORES, E OS AMIGOS VIRTUAIS TAMBÉM PODEM AJUDAR COM ALGUMAS PALAVRAS.
Fica bem
Bjs
Isabel

Kleine Hexe disse...

Olá Bc, gostava muito de te pedir uma coisa...não sei se te importas, mas adoro aquela imagem que tens ali de um menino de olhos castanhos a sorrir, onde se encontra escrito "um sorriso"...posso partilhar esta foto contigo no meu blog?

Beijinhos e Abraços Tribais =)

Fátima André disse...

Beijinhos e Sorrisos um pouco tristonhos e acinzentados como o tempo aqui pelo nosso Alentejo.
Resto de Bom Domingo e um excelente semana :))

f@ disse...

Há histórias e pessoas ... se o encanto nas palavras e palavras nas pessoas tem aquela pureza de neve a cair nos montes e um sol brilhante que a derrete ...
dessa água limpida a escorrer nos montes nasce uma paisagem verde florida e perfumada ...
beijinhos das nuvens

Viviana disse...

Olá Isabel,

è de facto assim como diz.

Creio que longe vão esses tempos das histórias de encantar, mas nada impede que sejamos nós a trazê-las de volta.

Por pouco que signifique... é um começo.

Quando os meu netos vêm dormir aqui a casa ou eu vou dormir á casa de algum deles, eles continuama fazer questão que eu lhes conte uma história e fique ao pé deles até adormeceem.

E eu faço isso com imenso gosto.
Considero-me até uma previlegiada.

Pergunto sempre:

Querem uma história de um livro ou querem uma história da cabeça da avó?

E eles lá decidem, umas vezes por uma, outras vezes por outra.

Mesmo as três meninas de nove anos, continuam a querer que lhes conte histórias.

E eu sinto que tenho que aproveitar porque logo, logo eles vão crescer.
O que vale é que a mais nova só tem dois anos.

Tenha um dia lindo amiga.

Um beijo
Viviana