domingo, 15 de junho de 2008

Carta para a Bé



Apesar de ser uma carta particular, vou transcrevê-la, com a devida autorização do meu pai, porque ela de facto veio para mim, mas também veio para vocês.

Querida
A teu conselho e ainda que eterno ignorante nestas coisas da Internet, lá consegui "espreitar" o blog "Revisitar a Educação"de Fátima André. E se há coisas que são lindas (sabes: cada vez gosto mais da palavra linda) são as palavras dos amigos (e que bom é ter amigos, !), mesmo daqueles que porventura não temos o prazer de conhecer pessoalmente. E que "baboso" fiquei por Renard te ter chamado belíssima, sensibilizado por Raul Martins me ter tratado por avô, poeta, e amigo, vaidoso por Teresa ter dito que gostara dos meus versos, Maria do Carmo Cruz (que gentil avó Pirueta!), por dizer que, pelos meus versos, já me conhece e, por fim Fátima André pela gentileza tão bonita e inesperada que me proporcionou juntando a um poema tão rico como as "Palavras Soltas" estes cinco e tão simples comentários a propósito dos meus 80 anos. Mas também pelas 80 armérias que se não vêm mas que estão lá por detrás..
Bem gostaria que tivessem sido 20!. Mas, se assim fosse, sabes perfeitamente como eu seria pobre, por te não ter a ti, nem aos teus irmãos, nem aos meus netos! Nem também a estes amigos que agora me deste!
Querida filha: embora me pareça que estás a abusar um bocadinho ocupando o teu blog com a publicação dos poemas tão simples do pai ( e, a propósito, que surpresa agradável que têm sido para mim as tuas poesias!), retribui, por mim, aos teus amigos, a gentileza dos parabéns que me enviaram e as palavras lindas que me dirigiram e que, com a pobreza das minhas palavras, lhes desejo, também, as maiores felicidades.
Um beijinho do pai

Vão- me perdoar, a carta veio de facto dirigida a mim, mas não só, quero partilhá-la convosco
pois o agradecimento é para vós, simplesmente para vós.
Quero só fazer um agradecimento pessoal, embora o faça todos os dias pelo pai maravilhoso que
tenho e por poder partilhar com ele a minha vida.

OBRIGADA PAI

9 comentários:

Maria do Carmo Cruz disse...

Querido Pai da Isabel,
quando eu for grande quero ser como o Senhor é.
Chamei-o por este nome, emboa saiba o seu nome verdadeiro, porque, para nós é mesmo "O Pai da Isabel". Como eu sou a Mãe da Joana, a Avó do Tiago.
Só me resta repetir os parabéns. Por tudo. Um abraço afectuoso da Avo Pirueta

gaivota disse...

lindo pai!
beijinhos para ele
e para ti,
parabéns por teres um Pai, um senhor pai!
beijinhos

Fátima André disse...

Querida Isabel, calaram-me fundo as humildes palavras do seu lindo pai. Comentá-las seria aniquilar a beleza inaudita deste belíssimo quadro pintado com palavras que não fiz por merecer. Obrigada.
Só gostava de dizer ao pai Mariano que lhe invejo a humildade com que se desvela, mas não é verdade “a pobreza das minhas palavras”. Quando as palavras tocam o coração das pessoas, elas metamorfoseiam, purificam, tornam-nos MAIS PESSOAS!
Um abraço fraternal para o pai e para a filha ;)

Teresa disse...

Para mim o Mariano Calado nao é o pai da Isabel. Para mim o Sr. é um poeta portugues, que muito
aprecio.
Também nao tem nada que nos agradecer. Nós, sim, temos de lhe agradecer os momentos de boa poesia que nos oferece.
Logo que chegue a Portugal, este Verao, vou procurar os seus livros. Em Portugal nao tenho o blogue da Isabel, aonde vou todos os dias para ler um poema seu, e desiludida, se nao está lá nenhum.
Saudacoes de uma admiradora.

RENARD disse...

Ao Sr. Mariano Calado:

Tenho a agradecer-lhe por duas coisas que, insuspeitamente, me deu e que engrandeceram a minha vida.
Primeiro, a Isabel. Tenho de lhe agradecer a forma como a criou e a guiou pela vida pois é um prazer imenso fazer parte da "teia de afectos" dela. Além disso, é uma pessoa com uma tal bondade e pureza de sentimentos como, há muito, não conhecia. Equiparada a ela, só a minha mãe que, também, é uma pessoa de afectos.
Segundo, a sua poesia. Aquela que escreveu e aquela que transmitiu à Isabel e que, com toda a certeza, a impeliu a expressar-se da mesma forma que o pai.
Sabe, nunca fui apreciadora de poesia. Mas com o tempo tenho vindo a aprender a "entendê-la". Sou imensamente racional e ao ler poesia punha-me a tentar racionalizar o seu conteúdo e "adivinhar" os sentimentos do poeta.
Depois, "eureka!", entendi que a poesia não se deve interpretar, deve-se, sim, sentir. "Pegar" nas sensações que nos transmitem e torná-las nossas. Por isso lhe agradeço o meu "novo gosto" pela poesia.
Isabelinha: Obrigada minha linda. Por me teres "apresentado" o teu pai. É uma honra conhecê-lo.
Um grande beijo para os dois e saudações tribais!

Viviana disse...

Olá Isabel,

Então o seu Paizinho fez 80 anos!?

Que idade linda e que pessoa linda que ele é!

As pessoas com alma e sentimento de poetas... são para mim muito especiais!

A minha amiga bem pode agradecer a Deus, por Ele ter escolhido esse belo e nobre homem... para ser o seu pai!

Parabens!

Muitos Parabens!

E que tenha abenção de o ter consigo, muitos e muitos anos mais, com imensa alegria, muita paz e montes de afectos e sorrisos.

um grande abraço
viviana

1/4 de Fada disse...

É muito bom ter o nosso pai connosco. Ainda bem que compartilhaste este momento. obrigada aos dois.

Marta disse...

Lindo...
Que carta linda!!!
Infelizmente, o meu Pai está com a doença de Alzheimer e nem sequer sabe que eu tenho um blog... Ainda me reconhece, mas pensa que tenho 7anos ...
Obrigada por partilhares a carta do teu Pai.
Beijos e abraços
Marta

Raul Martins disse...

Também venho aqui de mansinho como neto-filho-amigo que se aninha a ver a doçura de figura tão terna e cativante e apenas digo: obrigado.Que Deus o abençoe.
.
E tu Isabel, obrigado pela partilha. É tudo isto que nos faz acreditar e ter esperança neste mundo.
.
Carpe diem!