quinta-feira, 8 de maio de 2008

Mãe e Filha



" Tenho tanto para lhe ensinar
e receber
em troca.
Dir-lhe-ei que poderá ter de enfrentar
derrotas,
mas que nunca deverá dar-se
por vencida.
Ensinar-lhe-ei a amar muito.
Rir muito das coisas tolas e
ser muito sincera
Ensinar-lhe-ei a amar a vida,
eu sei que consigo
fazê-lo"
(autor desconhecido)
Gostaria de ver alguns textos de adolescentes do sexo masculino, porque eles também passam por fases difíceis, neste período da vida (ou até mais, nalguns casos), mas escondem-se mais, não
dão a cara como as raparigas.
FICA AQUI O DESAFIO, RAPAZES ARRASEM!


13 comentários:

RENARD disse...

Olá minha linda BC:

Concordo consigo. Os rapazes sofrem com a mesma intensidade que nós mulheres mas julgam ser fraqueza mostrá-lo. Um dos ditos populares mais ridículos e descabidos é o que diz "que os homens não choram". CHORAM! E devem fazê-lo quando bem lhes apetece. Seja de alegria ou sofrimento a lágrima é o que mais nos define como seres de afeição...
Fraqueza? Fraqueza é julgarmo-nos mais por não mostrar que somos humanos. O que vale é que: "the times they are a changin'"... Grande Bob Dylan. Como as coisas do passado ainda servem como uma luva nos tepmos presentes!

Uma valente beijoca :)

RENARD disse...

Olá novamente miga:

Como esclarecimento do meu post sobre a "morte da fantasia" não me refiro a fantasias, sonhos ou objectivos lineares ou comuns. Naquele caso específico refiro-me a fantasias sexuais. O meu blog serve também de veículo para mandar certas "indirectas" a quem as merece por direito. Sou apologista de que a sexualidade não deve ser motivo de vergonha ou algo que não podemos expressar. Acho que podemos e devemos fazê-lo desde que seja com bom gosto. Aqui entre nós o significado do texto é que nós mulheres, e eu particularmente, não fantasiamos com um qualquer actor ou cantor. Para nós é preciso algo mais. Aliás, impõe-se que haja um entendimento muito superior a uma simples atracção.
E pronto, era isso. ;)

Beijinhos

BC disse...

Minha amiguinha, claro que concordo contigo, a sexualidade faz parte da vida, e não há que ter vergonha, a sexualidade é bonita, de contrário como é que nós estariamos cá.Nós nascemos de acto da amor, verdade?
BEIJOCAS


Quanto à minha postagem, eu tenho filhos, e já os vi sofrer por amor e isso custa tanto, não acontece só às raparigas, depende da sensibilidade de cada um, por isso
me lembrei de lançar o desafio, não concordas?

RENARD disse...

Claro que sim. Há que mudar as mentalidades. E para isso deve-se começar a moldá-las desde cedo. A adolescência custa a todos. As dúvidas respeitantes a todas as mudanças, hormonais ou não, assolam-nos a todos e é saudável fazer uma purga. A escrita é uma óptima forma de levar essa purga a cabo. Acabamos por ver o nosso reflexo e muitas vezes a resposta que precisamos estava exactamente onde ela sempre esteve... Em nós!

Ó pra mim tão em sintonia com a adolescência. HAHA

Beijinhos

Multiolhares disse...

Acho que na verdade tudo passa pelo amor e conversarmos muito com os adolescentes, não se deve de esconder nada da vida, mas serem alertados para tudo o que de mau pode existir para estarem preparados para enfrentarem as dificuldades ou fugirem delas
beijinhos

BC disse...

Ainda existe muito trabalho a fazer.
"Corpos sãos em mentes sãs".
Já dizia a minha avó, e há quanto
tempo foi isso
Mais uma vez!
Fica bem

BC disse...

É evidente que sim, eu preparei os meus filhos, dizendo-lhes sempre tudo, consoante a idade, e as perguntas que na altura me eram formuladas. E acima de tudo, ser mãe, terem respeito, e ao mesmo tempo ser sempre também irmã mais velha e partilhar tudo com eles.
Acho que deu resultado. Até teria umas histórias reais para contar aqui, sobre essa mesma adolescência
e como fui sempre uma mãe intreveniente nas suas vidas, sem me tornar obssessiva, mas atenta.
Eles são nossos, mas não são nossa
propriedade, há que deixá-los voar!!! e descobrirem por eles as diferenças e as escolhas....

RENARD disse...

Grande BC!!!!!

Viviana disse...

Olá Isabel!

Lindo o poema!

Acho que para alèm de toda a informação e apoio, que condsidero deveras importante, creio que eles precisam de amor, muito amor, afecto, abraços, carinhos, doces olhares...para que se sintam muito amados e seguros, e não corram o risco de se desorientarem e perderem-se por aí., como acontece com tantos.

Ditosos os pais que o conseguem!

È a maior alegria que há!.

Um abraço

e um dia lindo para si

viviana

Não há alreg

Fátima André disse...

Acho excelente o desafio. Na certeza porém de que não vai ser muito fácil.

BC disse...

Eu também acho, mas não custa tentar,os rapazes não devem ficar de fora, até porque eles a maior parte das vezes são papel integrante no sofrimento das adolescentes.
O QUE É QUE ELES TERÃO A DIZER?
E quantas vezes são eles também as vítimas, os papéis também se invertem,experiências vividas de perto!!!

BC disse...

de acto de amor - de um acto de amor (está rectificado)

BC disse...
Este comentário foi removido pelo autor.