quinta-feira, 29 de maio de 2008

Naquela Madrugada

Era madrugada,
uma madrugada fria,
uma lágrima caiu
em teu corpo nu
Nossos corpos se uniram
em uníssono
num afago,
num gemido,
Meus cabelos longos,
cobriram teu corpo nu.
E nesse entorpecimento,
de sentidos.
Da noite se fez dia.
Do dia se fez vida!
Isabel Cabral

7 comentários:

Fátima André disse...

Um cântico ao AMOR e ao dom da VIDA... Lindo, lindo, lindo!
Obrigada, Isabel :)

Viviana disse...

Isabel,

Em tão poucas palavras... tanta coisa foi dita!

E a maneira como o disse é linda!

Deixe-me ver... acho que sei de que é feita a sua alma!...

Vejo-a tecida em seda finíssima... em tons de azul celeste...bordada de estrelas!

È bela!

Obrigada minha amiga, por tanta coisa linda que me vai dando, cada vez que aqui venho.

um beijo

viviana

gaivota disse...

um poema lindíssimo emoldurado numa foto igualmente bonita
parabéns
beijinhos

gaivota disse...

um poema lindíssimo emoldurado numa foto igualmente bonita
parabéns
beijinhos

Multiolhares disse...

e a vida se selou com amor, e gotas de criatal
bj

f@ disse...

Poema e imagem mto bonitos... beijinhos das nuvens

RENARD disse...

O momento da concepção! O acto mais altruísta conseguido por dois seres! O de prometer amar um novo ser para o resto da vida...
Lindo BC... Absolutamente, speechless...


Bj